Abstenção indica que pessoas se sentiram seguras para ir votar

31 de Janeiro 2022

A dirigente do BE Mariana Mortágua considerou este domingo que, apesar da preocupação com a abstenção, as projeções da afluência às urnas destas legislativas indicam “que as pessoas se sentiram seguras para votar apesar da pandemia”.

“O facto de as projeções indicarem uma abstenção que é igual, semelhante ou até inferior do que há quatro anos, mostra que as pessoas se sentiram seguras para votar apesar da pandemia”, afirmou Mariana Mortágua aos jornalistas no quartel-general do BE para esta noite eleitoral, o Capitólio, em Lisboa.

Em nome do BE, a deputada e dirigente quis deixar “um agradecimento em nome do BE a todas as pessoas que garantiram as mesas de voto e que garantiram que este processo eleitoral poderia ser feito em segurança”.

“Os dados da abstenção, são dados preliminares, devo notar que há projeções muito díspares para a abstenção, mas que nos levam a concluir que a abstenção não superará aquela de há quatro anos”, começou por afirmar.

Segundo Mariana Mortágua, apesar disso, deve-se “olhar sempre com preocupação para o facto de quase 50% dos eleitores, segundo estas projeções, não votarem”.

“É sempre um fator de preocupação e que nos leva a pensar também na necessidade de revisão dos cadernos eleitorais para que possamos ter uma real dimensão da abstenção”, defendeu.

A RTP avançou às 19:00 uma previsão de abstenção de 49% a 54%, a SIC com 45% a 49% e a CNN entre os 40% e os 44%.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Trabalhadores do Hospital de Braga não querem regressar à Parceria Público-Privada

Os trabalhadores do Hospital de Braga não querem regressar à Parceria Público-Privada (PPP), garante Camilo Ferreira, coordenador da Comissão de Trabalhadores, que recordou, em conversa com o HealthNews, a exaustão dos profissionais naquele modelo de gestão e, como Entidade Pública Empresarial (EPE), a melhoria das condições de trabalho e do desempenho.

Governo quer “articulação virtuosa” entre entidades de saúde

O Governo está a avaliar as atribuições de entidades como a Direção-Executiva do SNS, a DGS e o Infarmed para garantir “uma articulação virtuosa” que consiga diminuir a burocracia e concretizar as políticas de saúde, anunciou hoje a ministra.

Menopausa: Uma doença ou um processo natural de envelhecimento?

A menopausa foi o “elefante na sala” que a Médis trouxe hoje ao Tejo Edifício Ageas Tejo. O tema foi abordado numa conversa informal que juntou diversos especialistas. No debate, os participantes frisaram que a menopausa não é uma doença, mas sim um “ciclo de vida”. 

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights