Vacina obrigatória deixa 3.300 militares do Exército dos EUA em risco de expulsão

3 de Fevereiro 2022

O Exército norte-americano revelou esta quinta-feira que vai dispensar imediatamente os militares que se recusem a vacinar contra a Covid-19, medida que coloca mais de 3.300 soldados em risco de expulsão.

O Exército seguiu o exemplo dos Fuzileiros Navais, Força Aérea e Marinha dos Estados Unidos e também determinou a dispensa dos militares que recusem ser vacinados.

As outras forças já dispensaram militares no ativo ou em campos de treino por recusarem a vacina contra a Covid-19, sendo que até agora o Exército ainda não dispensou ninguém.

Segundo os dados divulgados pelo Exército na semana passada, mais de 3.300 soldados recusaram-se até agora a receber a vacina e mais de 3.000 já receberam reprimendas oficiais por escrito.

Este dado significa que estes militares já estão identificados nos processos disciplinares e alguns destes podem estar entre os primeiros a serem dispensados.

O Pentágono tinha determinado que todos os membros do serviço – ativos, Guarda Nacional e reservas – devem ser vacinados contra a Covid-19, defendendo que a medida é fundamental para manter a saúde e a prontidão da força.

Os casos de infeções com o coronavírus SARS-CoV-2 continuam a aumentar em todo o país, devido à disseminação da variante Ómicron.

Cerca de 97% de todos os militares do Exército já receberam pelo menos uma dose da vacina e mais de 3.000 solicitaram isenções médicas ou religiosas.

A secretária do Exército, Christine Wormuth, emitiu hoje a norma, determinando que os comandantes iniciem os processos de rescisão involuntária contra aqueles que se recusarem a vacinar sem terem justificação.

“A prontidão do Exército depende de soldados que estão preparados para treinar, mobilizar, lutar e vencer as guerras de nossa nação. Os soldados não vacinados representam um risco para a força e comprometem a prontidão”, salientou.

A medida acrescenta que os militares serão dispensados por má conduta e que aqueles elegíveis para a reforma podem solicitá-la antes de 01 de julho.

No geral, quase 600 militares das outras forças norte-americanas foram expulsos ou dispensados dos campos de treino básico na semana passada.

A Covid-19 provocou pelo menos 5.686.108 de mortes em todo o mundo desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China.

A variante Ómicron, que se dissemina e sofre mutações rapidamente, tornou-se dominante do mundo desde que foi detetada pela primeira vez, em novembro, na África do Sul.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Projeto liderado pela ESEnfC vence Prémio Erasmus+

O projeto europeu de capacitação para a prática de cuidados de enfermagem multiculturais, “MulticulturalCare”, liderado pela Escola Superior de Enfermagem de Coimbra (ESEnfC) e com coordenação da professora Ana Paula Monteiro, foi vencedor do Prémio Erasmus+ na categoria de Parcerias de Cooperação no Ensino Superior do ano 2023, foi anunciado na última terça-feira.

Sindepor vai impugnar concurso da ARS Norte

O Sindicato Democrático dos Enfermeiros (Sindepor) vai “contestar juridicamente a alteração súbita das regras de um concurso destinado à contratação de 61 enfermeiros para a Administração Regional de Saúde (ARS) do Norte”, divulgou hoje o Sindepor.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights