04/04/2022 | Mundo, Notícias

Apoio de lusos e de Lisboa permite a Beneficência continuar a ajudar portugueses na Venezuela

O apoio de empresários lusos locais e do Governo português tem permitido à Sociedade de Beneficência de Damas Portuguesas (SBDP), atender compatriotas carenciados em Caracas, apesar das maiores dificuldades causadas pela Covid-19.

“A pandemia não nos deteve, não nos impediu de ajudar. Temos mantido as portas abertas graças ao apoio incondicional de várias redes de supermercados, assim como o apoio que recebemos, através do Ministério dos Negócios Estrangeiros, do Governo português”, disse a presidente da SBDP.

Fátima Fita falava em Caracas para mais de 400 pessoas que participaram, domingo, no Almoço de Primavera, organizado pela SDBP para angariar fundos para continuar com o auxílio a carenciados.

“Sem este apoio, o nosso trabalho não teria sido possível. A atenção constante aos nossos beneficiários e às suas famílias, que recebem o nosso ‘almoço mensal de esperança’ e cabazes mensais de alimentos e medicamentos”, explicou.

Fátima Pita precisou que a SBDP ajuda atualmente “65 famílias, com um alcance aproximado de 250 pessoas” que “mensal e pontualmente” chegam a procurar ajuda “por causa da sua grande necessidade e situação de pobreza”.

“A pobreza bate diariamente à porta da Beneficência, que permanece alerta e pronta a ajudar o máximo possível”, sublinhou.

A presidente da SBDP congratulou-se por, “após dois anos e meio” sem eventos sociais, devido aos constrangimentos impostos pela pandemia, ter sido possível realizar o “Almoço de Primavera com o tradicional cozido” à portuguesa, “para dar continuidade aos projetos de caridade”.

No entanto, explicou que o almoço, que tradicionalmente tem lugar na SBDP, realizou-se no Centro Português porque “a nossa sede, uma casa com mais de 50 anos de construção, requer muitas reparações, devido à deterioração causada pelo tempo, na sua estrutura”.

“Esperamos contar com o apoio dos amigos, de diferentes empresas, nas reparações de alvenaria, canalização, pintura, ferragens. Também no equipamento da cozinha e fornos que precisam de manutenção”, frisou a portuguesa.

Fátima Pita recordou que a SBDP realiza quatro grandes eventos anuais: o da Primavera, em março ou abril, o de Aniversário, em maio, o de Outono em setembro ou outubro e o tradicional almoço de São Martinho em novembro.

Parte dos fundos angariados estão destinados ao Lar da Terceira Idade Padre Joaquim Ferreira, que continua a depender da SBP, disse a portuguesa.

“O Lar Padre Joaquim Ferreira, é a obra [que representa o nosso] orgulho das damas. Estamos orgulhosas de ter visto o nosso ‘filho’ crescer e andar com uma administração própria, apesar de que sempre necessitará da ajuda de todos para continuar a acolher pessoas da terceira idade, o objetivo pelo qual foi criado”, disse .

Fátima Pita explicou ainda que a SBDP tem vivido meses “extremamente difíceis” e apelou a que mais portugueses se apoiem à “nobre causa de ajudar os mais necessitados”.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado.

Share This