Plataforma colaborativa de apoio à decisão clínica vence o Prémio Best Ideas in Healthcare

19 de Novembro 2022

A Dioscope – Plataforma de Apoio à Decisão Clínica venceu recentemente o Prémio Best Ideas in Healthcare. Este sistema de apoio à decisão clínica visa incluir o conhecimento médico das equipas de cada hospital ou centro de saúde.

A plataforma utiliza algoritmos clínicos, baseados nas características de cada doente, sendo capaz de ponderar determinantes clínicos e não-clínicos de cada unidade de saúde.

No fundo, este “algoritmo comunica com o médico, facultando-lhe, de forma automática (após ponderação), as melhores recomendações sobre diagnósticos e tratamentos.”

Na qualidade de ideia vencedora, a Dioscope – Plataforma de Apoio à Decisão Clínica arrecadou um prémio no valor de 7.500 euros e uma bolsa de horas em consultoria, garantidos pela Tecnológica NTT DATA Portugal.

Na cerimónia de entrega do Prémio, que se realizou durante o 25º Congresso Nacional da Ordem dos Médicos, estiveram presentes alguns elementos da equipa vencedora, nomeadamente o fundador e médico interno de dermatologia no Centro Hospitalar Universitário Lisboa Central, Tomás Pessoa e Costa e o chief strategy officer da Dioscope, Francisco Goiana da Silva.

Durante a entrega do Prémio Best Ideas in Healthcare, Miguel Guimarães congratulou os vencedores, os distinguidos no top 10 e todos os concorrentes, sublinhando que a decisão do júri “não foi fácil” devido à “qualidade” e ao “espírito de inovação” dos projetos. O bastonário da Ordem dos Médicos realçou o papel importante desta iniciativa como “um pólo dinamizador de empreendedorismo, investigação e inovação em saúde, envolvendo os médicos e os profissionais de saúde”.

PR/HN/Vaishaly Camões

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Prémio de Investigação Noémia Afonso recebe trabalhos até 31 de julho

O Prémio de Investigação Noémia Afonso, promovido pela Sociedade Portuguesa de Senologia (SPS), anunciou a extensão do prazo de envio dos trabalhos até 31 de julho de 2024. A iniciativa tem como objetivo incentivar a cultura científica e fomentar a investigação clínica na área do cancro da mama.

Guadalupe Simões: Quantidade de atos “não se traduz em acompanhamento com a qualidade e segurança que qualquer pessoa deverá exigir”

Esta sexta-feira, Guadalupe Simões, dirigente do Sindicato dos Enfermeiros Portugueses, criticou a escolha do Governo de pagar pela quantidade de atos. “Quando o Governo diz que dá incentivos ou que dá suplementos financeiros se fizerem mais intervenções cirúrgicas, se tiverem mais doentes nas listas, se operarem mais doentes no âmbito dos programas do SIGIC, se, se, se, está sempre a falar de quantidade de atos, que não se traduz em acompanhamento das pessoas com a qualidade e segurança que qualquer pessoa deverá exigir”, explicou ao HealthNews.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights