Mais de quarenta mil crianças e adolescentes ficaram órfãos de mãe devido à pandemia no Brasil

27 de Dezembro 2022

Pelo menos 40.830 crianças e adolescentes perderam as suas mães em consequência da Covid-19 nos dois primeiros anos da pandemia no Brasil, segundo um estudo divulgado pela estatal Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

A pesquisa indica que a Covid-19 foi responsável “por um terço de todas as mortes relacionadas a complicações durante o parto” entre mulheres jovens, o que representa um aumento de 37% nas taxas de mortalidade materna no Brasil em relação a 2019.

“Por cada mil bebés nascidos vivos, uma mãe morreu no Brasil nos dois primeiros anos da pandemia”, disse Cristiano Boccolini, um dos autores do estudo, conduzido pela Fiocruz e pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

A pesquisa, publicada na semana passada na revista “Arquivos de Saúde Pública”, foi feita a partir do cruzamento de dados das mortes por Covid-19 notificadas oficialmente em 2020 e 2021, com os do sistema de informação sobre nascidos vivos entre 2003 e 2020.

Os investigadores também concluíram que, em 2020 e 2021, a Covid-19 foi responsável “por um quinto de todas as mortes registadas no Brasil” (19%).

O pico da pandemia ocorreu em março de 2021, com uma média de cerca de 4.000 mortes diárias.

“A faixa etária de 40 a 59 anos teve a maior proporção de vítimas da covid-19, em relação à mortalidade por outras causas. Nesse grupo, um em cada quatro brasileiros que morreram em 2020 e 2021” foi devido a causas “relacionadas com a Covid-19”, afirmou Boccolini.

Por tudo isto, os investigadores consideram que, “tendo em conta a crise sanitária e económica instalada no país, com o regresso da fome” e “a crescente fila de entrada em programas sociais”, é “urgente” mobilizar a sociedade para a proteção da infância, com “atenção prioritária” aos órfãos da pandemia.

O estudo foi financiado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), pela Fundação Bill e Melinda Gates e pela Fiocruz.

Desde o início da pandemia de Covid-19, há quase três anos, o Brasil acumula 36.124.337 infeções e 692.743 mortes ligadas à doença, sendo um dos países do mundo mais afetados pela pandemia, segundo dados oficiais.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

APAH defende autonomia após ministra anunciar auditoria

 A Associação Portuguesa de Administradores Hospitalares (APAH) defendeu hoje autonomia para as administrações tomarem decisões, depois de a ministra da Saúde anunciar a criação de uma comissão para auditar os conselhos de administração dos hospitais.

Enfermeiros denunciam situação “explosiva” na Linha SNS 24

A Linha SNS 24 vive uma situação “explosiva” e, entre os enfermeiros que prestam serviço nesta linha de atendimento, já se fala em paralisação. A denúncia é feita pelo Sindicato dos Enfermeiros (SE), que teve conhecimento do caso por meio de uma exposição dos enfermeiros que ali prestam serviço, em tempo parcial.

Violência contra a pessoa idosa em debate

A Câmara Municipal de Ponta Delgada (São Miguel, Açores) promove na próxima sexta-feira, às 9h30, uma palestra subordinada ao tema da consciencialização da violência contra a pessoa idosa, isto na véspera do dia mundial que lhe é dedicado pela Organização das Nações Unidas.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights