Fesap ameaça greve na saúde pela valorização dos contratos individuais nos hospitais

31 de Outubro 2023

O líder da Federação de Sindicatos da Administração Pública (Fesap), José Abraão, ameaçou hoje avançar para uma greve nacional na saúde caso o Governo não resolva "até meados" de novembro a valorização salarial dos contratos individuais dos hospitais.

José Abraão falava em conferência de imprensa, em Lisboa, após a reunião do secretariado nacional da Fesap, na qual foram equacionadas ações de protesto setoriais, esperando que a proposta de Orçamento do Estado para 2024 (OE2024) possa sofrer alterações até à sua votação final global, em 29 de novembro, que vão ao encontro das exigências dos trabalhadores.

O sindicalista defendeu que “há margem” orçamental e exigiu “mais investimento nos serviços públicos”, nomeadamente na saúde, referindo “problemas por resolver como os dos CIT [contratos individuais de trabalho] dos hospitais EPE, que esperam o reposicionamento das carreiras”.

“Se até meados deste mês estes problemas não estiverem resolvidos, a Fesap promoverá uma greve nacional na área da saúde relativamente aos CIT e às carreiras dos concursos não abertos como o dos inspetores externos”, avisou José Abraão.

Em causa está, segundo a Fesap, a reconstituição das carreiras e o reposicionamento remuneratório dos trabalhadores com CIT dos hospitais EPE, nomeadamente das carreiras gerais, técnicos superiores de diagnóstico e terapêutica, técnicos superiores de saúde e farmacêuticos.

Segundo disse, a Fesap tem discutido o tema dos CIT com o Ministério da Saúde sobre “orientações” a dar relativamente ao reposicionamento destes trabalhadores, mas disse continuar “à espera” da resposta.

A federação sindical exige ainda a abertura de concursos de promoção nas carreiras especiais, nomeadamente nas inspeções externas do Estado, Segurança Social, fundos comunitários, entre outras, disse Abraão.

O secretariado nacional decidiu ainda promover uma campanha nacional pela defesa da ADSE, sistema de proteção na saúde dos trabalhadores da administração pública, criticando a medida da proposta do OE2024 que prevê a transferência para a ADSE de despesas que estão atualmente a cargo das autarquias “sem quaisquer contrapartidas do lado da receita”.

“A medida pode até ser muito certa. Os beneficiários é que não estarão muito dispostos a assumir essa despesa sem a compensação na receita”, sublinhou o sindicalista.

Abraão indicou que a Fesap vai pedir reuniões às comissões parlamentares e “uma reunião com caráter urgente ao ministro das Finanças [Fernando Medina] para discutir” a questão da ADSE.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Trabalhadores do Hospital de Braga não querem regressar à Parceria Público-Privada

Os trabalhadores do Hospital de Braga não querem regressar à Parceria Público-Privada (PPP), garante Camilo Ferreira, coordenador da Comissão de Trabalhadores, que recordou, em conversa com o HealthNews, a exaustão dos profissionais naquele modelo de gestão e, como Entidade Pública Empresarial (EPE), a melhoria das condições de trabalho e do desempenho.

Governo quer “articulação virtuosa” entre entidades de saúde

O Governo está a avaliar as atribuições de entidades como a Direção-Executiva do SNS, a DGS e o Infarmed para garantir “uma articulação virtuosa” que consiga diminuir a burocracia e concretizar as políticas de saúde, anunciou hoje a ministra.

Menopausa: Uma doença ou um processo natural de envelhecimento?

A menopausa foi o “elefante na sala” que a Médis trouxe hoje ao Tejo Edifício Ageas Tejo. O tema foi abordado numa conversa informal que juntou diversos especialistas. No debate, os participantes frisaram que a menopausa não é uma doença, mas sim um “ciclo de vida”. 

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights