Partos na ULS da Região de Leiria aumentaram devido a fluxo migratório

3 de Fevereiro 2024

A Unidade Local de Saúde (ULS) da Região de Leiria registou em 2023 o crescimento do número de partos relativamente a 2022, com mais 348 crianças nascidas do que no ano anterior, devido ao fluxo migratório, anunciou aquela organização.

Durante 2023, registaram-se 2.258 nascimentos de bebés no bloco de partos, o que significa um crescimento de mais de 18% relativamente ao ano anterior.

Os dados refletem “os efeitos do movimento migratório em Portugal, nomeadamente na área da natalidade, com mais bebés de pais estrangeiros”, realça Licínio de Carvalho, presidente do conselho de administração da ULS da Região de Leiria, num balanço aos números de 2023, citado na informação divulgada.

Segundo o responsável, “a atividade assistencial do antigo Centro Hospitalar de Leiria registada em 2023 demonstra um evidente crescimento comparativamente com o ano de 2022, o que traduz a alta produtividade dos nossos profissionais”.

Ao todo, o balanço indica mais de 21 mil cirurgias realizadas, acima de 239 mil exames efetuados, quase 300 mil consultas de especialidade realizadas e 3,4 milhões de análises clínicas feitas.

Relativamente às cirurgias, o Centro Hospitalar de Leiria efetuou cerca de 16 mil intervenções em ambulatório, tendo a Unidade de Hospitalização Domiciliária tratado 499 doentes, “mais 25 do que em 2022”.

A operação dos serviços que atualmente são geridos pela ULS regista ainda mais de 175 mil atendimentos nos cinco serviços de urgência hospitalares e mais de 20 mil internamentos. No Hospital de Dia houve acima de 26 mil sessões, o que significa “um crescimento de cerca de 6,8 mil sessões relativamente a 2022”.

“Estamos francamente orgulhosos com estes resultados na área hospitalar, onde se regista uma evolução positiva ano após ano”, afirma Licínio de Carvalho.

NR/HN/Lusa

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Prémio de Investigação Noémia Afonso recebe trabalhos até 31 de julho

O Prémio de Investigação Noémia Afonso, promovido pela Sociedade Portuguesa de Senologia (SPS), anunciou a extensão do prazo de envio dos trabalhos até 31 de julho de 2024. A iniciativa tem como objetivo incentivar a cultura científica e fomentar a investigação clínica na área do cancro da mama.

Guadalupe Simões: Quantidade de atos “não se traduz em acompanhamento com a qualidade e segurança que qualquer pessoa deverá exigir”

Esta sexta-feira, Guadalupe Simões, dirigente do Sindicato dos Enfermeiros Portugueses, criticou a escolha do Governo de pagar pela quantidade de atos. “Quando o Governo diz que dá incentivos ou que dá suplementos financeiros se fizerem mais intervenções cirúrgicas, se tiverem mais doentes nas listas, se operarem mais doentes no âmbito dos programas do SIGIC, se, se, se, está sempre a falar de quantidade de atos, que não se traduz em acompanhamento das pessoas com a qualidade e segurança que qualquer pessoa deverá exigir”, explicou ao HealthNews.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights