Área da saúde acomoda 1.500ME somando OE e orçamento suplementar – Jamila Madeira

12 de Junho 2020

A secretária de Estado Adjunta e da Saúde, Jamila Madeira, disse hoje que somando o Orçamento do Estado para 2020 e o Orçamento Suplementar agora apresentado, a área da saúde terá injetados 1.500 milhões de euros.

“[O ano de] 2020 foi um ano de exceção para a saúde fora a pandemia da covid-19 porque houve o maior reforço inicial para o orçamento da saúde de sempre, 941 milhões de euros, e depois foi reforçado com 256 milhões de euros (…) Com este orçamento suplementar, desenhamos uma solução que impacta em cerca de 504,4 milhões de euros que visa várias vertentes, disse a governante, vincando: “Se somarmos o esforço do orçamento 2020 com o esforço do orçamento suplementar estamos a falar de 1.500 milhões injetados na saúde”.

Jamila Madeira, que falava aos jornalistas na conferência de imprensa diária de ponto de situação sobre a pandemia da covid-19 em Portugal, destacou que o orçamento suplementar recentemente apresentado tem como objetivos o reforço dos recursos humanos, bem como a sua valorização, integração.

Soma-se, acrescentou a secretária de Estado, o reforço de capacidade laboratorial com equipamento e recursos humanos de forma a preparar Portugal para “reagir a eventos deste género”, referindo-se à pandemia do novo coronavírus.

“E reforçar a capacidade de resposta das Unidades de Cuidados Continuados e acomodar uma despesa que não existia nestas escalas”, apontou, referindo-se ao volume de consumos de equipamentos de proteção individual e testes.

O bastonário da Ordem dos Médicos considerou quinta-feira “insuficiente” o reforço de 504,4 milhões de euros para a saúde no orçamento suplementar, defendendo que a recuperação da atividade devido à covid-19 exige pelo menos 1.250 milhões de euros.

“Esperava mais de um orçamento suplementar para a saúde”, disse Miguel Guimarães à agência Lusa, recordando que as fragilidades do Serviço Nacional de Saúde (SNS) foram atenuadas nos últimos meses, porque toda a atividade foi concentrada no combate à covid-19.

Nas contas do bastonário, mais de 50% da atividade – consultas, cirurgias, exames – foi adiada e terá de ser recuperada, assim como realizadas as marcações já efetuadas.

“Em termos de orçamento, estamos a falar de três meses – 25% de um ano. Se eu aplicar este quarto de ano ao orçamento, significa que, para recuperar metade do que era a atividade desses três meses, são necessários 1.250 milhões de euros”, considerou.

Questionada sobre estas declarações, Jamila Madeira não as comentou diretamente, tendo apresentado números sobre as verbas destinadas a este setor, bem como as prioridades, aproveitando para apelar e agradecer o “esforço de todos os profissionais de saúde”.

“Com esforço de todos os profissionais de saúde e esforço de todas as vertentes, com a responsabilidade que as Ordens também têm ao conseguirem transformar este esforço gigante que o país coloca ao serviço da saúde, em resultados para o Serviço Nacional de Saúde e em mais acesso para os portugueses, tenho a certeza que conseguiremos atingir os objetivos a que nos propomos”, concluiu.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 421 mil mortos e infetou mais de 7,5 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 1.505 pessoas das 36.180 confirmadas como infetadas, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Associação Portuguesa de Jovens Farmacêuticos junta partidos para debater o setor antes das legislativas

A Associação Portuguesa de Jovens Farmacêuticos (APJF) vai organizar, no próximo dia 26 de fevereiro, um debate público para discutir as principais preocupações do setor farmacêutico para os próximos anos. O evento “Prioridades para o Ecossistema Farmacêutico e da Saúde”, a ter lugar no Centro Ciência Viva, em Lisboa, vai reunir representantes dos partidos políticos num debate que antecede as eleições legislativas. 

Workshop sobre Obesidade assinala Dia Mundial no Porto

No próximo dia 4 de março, Dia Mundial da Obesidade, a cidade do Porto acolhe um workshop gratuito sobre Obesidade, com o intuito de se falar abertamente sobre esta doença que afeta quase mil milhões de pessoas em todo o mundo.

A FEPODABES lança a campanha É HORA DE AJUDAR

O Presidente da FEPODABES, Alberto Mota, deixa o apelo: “todos os cidadãos com mais de 18 anos, que tenham mais de 50kg e que sejam saudáveis podem dar sangue. Esse gesto simples contribui para salvar muitas vidas”.

Cancer Summit da MSD regressa com o mote “Salvar e Melhorar Vidas”

No dia 24 de fevereiro, no Altice Arena, realiza-se a 3.ª edição do Cancer Summit, um evento na área da Oncologia da MSD Portugal. A iniciativa tem como mote “Salvar e Melhorar Vidas” e pretende promover a qualidade dos cuidados prestados aos doentes oncológicos a nível nacional.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights