EUA faz novo contrato de 1,3 mil milhões de euros para produção de vacinas

12 de Agosto 2020

 O Presidente dos Estados Unidos anunciou na terça-feira um contrato no valor de 1,3 mil milhões de euros para a produção de 100 milhões de doses da vacina experimental do laboratório Moderna, o sexto contrato deste género desde maio.

“Tenho o prazer de anunciar esta noite [terça-feira] que fechámos um acordo com a Moderna para o fabrico e entrega de 100 milhões de doses da sua vacina experimental contra o novo coronavírus. O Governo federal será o proprietário dessas doses da vacina, estamos a comprar”, destacou Donald Trump, durante uma conferência de imprensa na Casa Branca.

O laboratório norte-americano Moderna lidera um dos três projetos no ocidente que estão já na fase final de testes clínicos em milhares de pessoas, noticia a agência AFP.

Os resultados preliminares da primeira fase, que contou com um pequeno número de pessoas, mostraram que a vacina gerou uma resposta imunológica.

Segundo o diretor do instituto responsável pelo ensaio clínico, Anthony Fauci, até ao final do ano não se esperam dados sobre se esta vacina é segura e eficaz.

Mas Donald Trump disse pretender obter mais resultados antes das eleições presidenciais nos EUA, que irão decorrer em 03 de novembro.

Este acordo agora anunciado aumenta o investimento público norte-americano na empresa de biotecnologia fundada há menos de uma década e que nunca criou uma vacina até agora, para 2,48 mil milhões de dólares (2,1 mil milhões de euros).

O contrato com a Moderna prevê ainda a opção de compra de mais 400 milhões de doses, segundo revelaram os comunicados da empresa e da secretaria da Saúde dos Estados Unidos.

“Estamos preparados para produzir rapidamente 100 milhões de doses assim que a vacina for aprovada e até 500 milhões seguidamente”, disse Donald Trump, apresentando números significativamente diferentes.

A administração liderada por Donald Trump já gastou pelo menos 10,9 mil milhões de dólares (9,28 mil milhões de euros) no desenvolvimento e produção de vacinas.

Além do negócio com a Moderna, foram também firmados acordos para comprar 100 milhões de doses às empresas Johnson & Johnson, Novavax, Pfizer e Sanofi, e 300 milhões de doses da AstraZeneca, elevando o total para 800 milhões de doses até ao momento.

A primeira vacina para a Covid-19 registada no mundo foi anunciada na terça-feira pelo Presidente russo, Vladimir Putin, e vai entrar em circulação em 01 de janeiro de 2021, segundo o Ministério da Saúde da Rússia.

A pandemia de Covid-19 já provocou mais de 736 mil mortos e infetou mais de 20,1 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Os Estados Unidos são o país com mais mortos (163.465) e também com mais casos de infeção confirmados (mais de 5 milhões).

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Exposição “Arte e Vida: Enfrentar a Esclerose Múltipla” de Emanuel Ribeiro abre em Lisboa

O artista Emanuel Ribeiro apresenta três das suas mais impactantes obras – “À Deriva”, “Grito Mudo” e “Libertação” – na exposição “Arte e Vida: Enfrentar a Esclerose Múltipla”. Organizada pela Sociedade Portuguesa de Esclerose Múltipla (SPEM), com o apoio da Merck e do El Corte Inglés (ECI), a exposição visa retratar as complexidades, desafios e triunfos da vida com esclerose múltipla.

Futuros nutricionistas enfrentam “tubarões” no Teatro Thalia

A NOVA Medical School vai trazer para a academia o conhecido modelo de captação de negócio ‘Shark Tank’, dia 28 de junho no Teatro Thalia, em Lisboa, proporcionando uma plataforma para os alunos finalistas da Licenciatura em Ciências da Nutrição se apresentarem ao mercado de trabalho.

Relatório de saúde STADA 2024: sistemas de saúde na Europa precisam de reformas urgentes

Os sistemas de saúde europeus estão em crise e necessitam de uma reforma urgente, revela o Relatório de Saúde da STADA 2024. Este inquérito representativo, que envolveu cerca de 46.000 entrevistados em 23 países europeus, destaca que os sistemas de saúde não conseguem atender adequadamente às necessidades de muitos europeus, levando-os a assumir a responsabilidade pela sua própria saúde.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights