Alemanha com 1.256 infetados e onze mortes num dia considera novas medidas de restrição

2 de Setembro 2020

As autoridades alemãs identificaram, nas últimas 24 horas, 1.256 novos casos de Covid-19 e onze vítimas mortais, e consideram a hipótese de agir com novas medidas a nível local e regional caso os números piorem.

Em declarações feitas hoje aos jornalistas, Jens Spahn, ministro da Saúde da Alemanha, garantiu que “não haverá novas medidas generalizadas” para conter a pandemia de Covid-19, como as tomadas anteriormente e aplicadas a todo o país, mas sim ao nível local e regional.

Spahn realçou que as regras adotadas em março, como o encerramento de lojas, ou escolas e jardins-de-infância, foram “necessárias” na altura, ainda que “difíceis” de estipular. O ministro da Saúde argumentou ser atualmente “mais fácil tomar de decisões” porque “a informação é maior”.

Para esta quinta-feira, e de acordo com um porta-voz do governo, está marcada uma reunião do “gabinete corona”, com a chanceler Angela Merkel e os líderes dos 16 estados federados sobre novas medidas a tomar.

A Alemanha contabiliza, desde o início da pandemia de Covid-19, um total de 244.855 casos, 219.100 já foram considerados curados, e 9.313 vítimas mortais.

A pandemia da Covid-19 já provocou pelo menos 851.071 mortos e infetou mais de 25,5 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Depois de a Europa ter sucedido à China como centro da pandemia em fevereiro, o continente americano é agora o que tem mais casos confirmados e mais mortes.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

BIAL tem novo diretor para a área das neurociências

Com formação em biologia molecular e doutoramento em modelos animais na Doença de Alzheimer da Universidade de Heidelberg, Alemanha, Christian Czech tem uma vasta experiência na indústria farmacêutica, nomeadamente em Neurociências e Doenças Raras, áreas de pesquisa da BIAL., informa a empresa em comunicado.

Apifarma esclarece afirmações de Manuel Pizarro

Ao contrário do que foi divulgado, o investimento do SNS com medicamentos “tem vindo a perder peso relativo ao longo dos anos no montante global público despendido em saúde. Em 2022 representava 19,9%, quando em 2010 este valor era de 21,2%.”, aponta a Apifarma

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights