Governo decreta que idosos podem deslocar-se para votar mas devem “recorrer preferencialmente” ao voto antecipado

14 de Janeiro 2021

Os idosos residentes em lares, apesar de considerados em confinamento obrigatório para o exercício do direito de voto, podem também deslocar-se para votar, mas devem "recorrer, preferencialmente, à modalidade de voto antecipado em mobilidade", determina o Governo.

No decreto que regulamenta o estado de emergência, aprovado na quarta-feira em Conselho de Ministros, o Governo determina que ficam em confinamento obrigatório os doentes com Covid-19 e infetados com SARS-CoV-2, os cidadãos a quem tenha sido determinada vigilância ativa e os residentes em estruturas para idosos, estes últimos para efeitos do exercício do direito de voto.

De todos estes grupos, apenas os residentes em estruturas para idosos “podem deslocar-se para efeitos de exercício do direito de voto na eleição do Presidente da República, devendo recorrer, preferencialmente, à modalidade de voto antecipado em mobilidade”, refere o diploma.

No decreto que prolongou o estado de emergência até 30 de janeiro, Marcelo Rebelo de Sousa estabelece que, “para efeitos do exercício do direito de voto nas eleições para o Presidente da República, os idosos acolhidos em estruturas residenciais devem ser considerados em confinamento obrigatório”.

Os eleitores em confinamento obrigatório, se quiserem votar antecipadamente no respetivo domicílio ou noutro local que não em estabelecimento hospitalar devem manifestar essa intenção entre 14 e 17 de janeiro, realizando-se a votação entre 19 e 20 de janeiro.

O voto antecipado em mobilidade no território nacional pode ser solicitado entre 10 e 14 de janeiro e a votação realiza-se no dia 17 no concelho escolhido.

Pode ser requerido Aqui.

As eleições presidenciais realizam-se no dia 24 de janeiro.

Concorrem às eleições sete candidatos, Marisa Matias (apoiada pelo Bloco de Esquerda), Marcelo Rebelo de Sousa (PSD e CDS/PP) Tiago Mayan Gonçalves (Iniciativa Liberal), André Ventura (Chega), Vitorino Silva, mais conhecido por Tino de Rans, João Ferreira (PCP e PEV) e a militante do PS Ana Gomes (PAN e Livre).

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Associação Portuguesa de Jovens Farmacêuticos junta partidos para debater o setor antes das legislativas

A Associação Portuguesa de Jovens Farmacêuticos (APJF) vai organizar, no próximo dia 26 de fevereiro, um debate público para discutir as principais preocupações do setor farmacêutico para os próximos anos. O evento “Prioridades para o Ecossistema Farmacêutico e da Saúde”, a ter lugar no Centro Ciência Viva, em Lisboa, vai reunir representantes dos partidos políticos num debate que antecede as eleições legislativas. 

Workshop sobre Obesidade assinala Dia Mundial no Porto

No próximo dia 4 de março, Dia Mundial da Obesidade, a cidade do Porto acolhe um workshop gratuito sobre Obesidade, com o intuito de se falar abertamente sobre esta doença que afeta quase mil milhões de pessoas em todo o mundo.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights