Universidade de Aveiro ultrapassa 500 casos desde início de ano letivo

15 de Janeiro 2021

A Universidade de Aveiro (UA) ultrapassou hoje os 500 casos de covid-19, tendo sido registados mais sete contágios entre a comunidade académica e mais uma hospitalização nas últimas 24 horas, informou a instituição.

Numa nota dirigida à comunidade académica, o reitor da UA, Paulo Jorge Ferreira, diz que as autoridades de saúde confirmaram esta sexta-feira sete infeções por SARS-CoV-2, elevando para 60 o número de casos ativos na instituição.

A nota indica ainda que oito pessoas recuperaram da doença, havendo duas pessoas hospitalizadas, mas uma do que no dia anterior.

Na quinta-feira, a UA registou 19 infeções pelo novo coronavírus, o segundo maior número de casos diário, desde que foi detetado um surto naquela instituição de ensino há mais de três meses.

Desde o início do ano letivo em curso, a UA soma 505 infeções entre alunos, professores e funcionários, sendo que 445 pessoas já recuperaram da doença.

Entretanto, e devido ao novo confinamento que entrou em vigor à meia-noite, a UA fez algumas alterações no funcionamento das cantinas, bares e restaurantes.

Entre as medidas anunciadas hoje está o encerramento de três espaços de alimentação: Restaurante Universitário, Restaurante Vegetariano e o Bar do Ambiente.

As restantes cantinas (Santiago, Crasto e de Águeda) funcionam em regime exclusivamente de “take-away”, podendo as refeições aqui adquiridas ser consumidas no interior da sala. A partir de 19 de janeiro a cantina do Crasto irá estar encerrada reabrindo a 25 de fevereiro.

O decreto do Governo que regulamenta o novo estado de emergência devido à pandemia da covid-19, em vigor entre as 00:00 de sexta-feira e as 23:59 de 30 de janeiro, determina o encerramento de atividades de restauração.

O Conselho de Reitores das Universidades Portuguesas (CRUP) defendeu na terça-feira que as atividades letivas e avaliativas devem continuar presenciais, manifestando disponibilidade para “ajustar medidas” em função daquilo do que “vier a exigir” a evolução da pandemia da covid-19.

A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 1.994.833 mortos resultantes de mais de 93 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 8.384 pessoas dos 517.806 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

IPG acolhe polo do Centro de Envelhecimento Ativo

O Instituto Politécnico da Guarda (IPG) vai acolher um polo do Centro de Competências de Envelhecimento Ativo, que irá desenvolver atividades para criar melhores condições de vida aos idosos da região.

UC integra estudo mundial sobre aumento da obesidade

Mais de um bilião de pessoas vivem atualmente com obesidade no mundo, segundo um estudo internacional em que participaram investigadores da Universidade de Coimbra (UC), divulgou a instituição.

Quinze ULS terão equipas dedicadas na área da Saúde Mental

Os primeiros Centros de Responsabilidade Integrados dedicados à Saúde Mental vão arrancar em 15 Unidades Locais de Saúde, numa primeira fase em projeto-piloto e durante 10 meses, segundo uma portaria publicada em Diário da República.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights