Um inquérito da Federação Académica do Porto (FAP), realizado entre 31 de dezembro de 2020 e 09 de janeiro de 2021, a 1.844 estudantes da academia do Porto, revela que 94 por cento (%) dos inquiridos afirmaram ter intenção de ir votar no próximo Presidente da República Portuguesa, enquanto que 4% respondeu “talvez” e apenas 2% disse que “não” iria votar no sufrágio do próximo dia 24.

Questionados sobre a frequência com que “leem, ouvem ou veem notícias sobre política”, a resposta é que quase metade (48%) dos inquiridos afirmou fazê-lo “todos os dias”.

Se se somarem os 27% dos estudantes que responderam ler, ouvir ou ver “notícias sobre política” três ou quatro dias por semana, pode considerar-se que “75% dos estudantes da Academia do Porto (três em cada quatro estudantes) se encontrem, regularmente, informados sobre assuntos políticos”, indica o documento.

Outra questão do inquérito tendo em “consideração as elevadas taxas de abstenção, e em particular a baixa participação dos jovens ao longo dos últimos processos eleitorais” foi inquirir os estudantes sobre o conhecimento das funções desempenhadas pelo Presidente da República (PR). A conclusão é que 74% da amostra presumiu estar familiarizada com os seus poderes e competências.

Contudo, quando lhes foi solicitado para assinalarem, numa lista de seis opções, um conjunto de três opções que correspondessem a funções do PR, nos termos da Constituição da República Portuguesa, apenas 56% dos estudantes responderam de forma absolutamente correta.

Sobre o grau de satisfação com o trabalho desenvolvido pelos agentes políticos, incluindo o Presidente da República, numa escala de 0 a 5, onde 0 corresponde a “nada satisfeito” e 5 a “muito satisfeito”, 52% dos estudantes encontram-se razoavelmente satisfeitos (atribuindo o valor de 3).

Outra questão do inquérito incidiu sobre a expectativa relativamente ao futuro profissional e um em cada quatro estudantes afirmou planear sair do país em busca de rendimentos mais elevados.

“Este é um dado que justifica recordar a necessidade de aumentar a retenção de profissionais qualificados – e de talento – no nosso país”, conclui o inquérito.

A Federação Académica do Porto foi fundada em 1989 e é composta por 27 associações de estudantes representando cerca de 70 mil estudantes de várias instituições de ensino superior da Grande Área Metropolitana do Porto.

As eleições presidenciais realizam-se em plena epidemia de covid-19 em Portugal em 24 de janeiro, a 10.ª vez que os cidadãos portugueses escolhem o chefe de Estado em democracia, desde 1976. A campanha eleitoral começou no dia 10 e termina em 22 de janeiro.

Há sete candidatos: o incumbente Marcelo Rebelo de Sousa (apoiado oficialmente por PSD e CDS-PP), a diplomata e ex-eurodeputada do PS Ana Gomes (PAN e Livre), o deputado único do Chega, André Ventura, o eurodeputado e dirigente comunista, João Ferreira (PCP e “Os Verdes”), a eurodeputada e dirigente do BE, Marisa Matias, o fundador da Iniciativa Liberal Tiago Mayan e o calceteiro e ex-autarca socialista Vitorino Silva (presidente do RIR – Reagir, Incluir, Reciclar).

NR/HN/LUSA

Share This