Segundo os dados hoje divulgados pelo Ministério da Saúde do Brasil, foram registadas 1.386 mortes nas últimas 24 horas, ascendendo o valor global a 254.221 óbitos.

Nos últimos cinco dias, o número de mortes ficou acima das 1.300: 1.386 na terça-feira, 1.428 na quarta-feira, 1.541 na quinta-feira e 1.337 na sexta-feira.

Embora registe uma descida de 3.567 infetados em relação a sexta-feira (65.169), os números de hoje (61.602) elevam para 10.517.232 os casos registados no país.

Com o avolumar dos casos, 13 dos 27 estados brasileiros estão à beira colapso e as unidades de cuidados intensivos estão prestes a atingir a capacidade máxima.

Perante esta situação, e um ano após se ter registado o primeiro caso de covid-19 no Brasil (em 26 de fevereiro do ano passado), as regiões mais afetadas foram forçadas a aumentar as medidas de restrição, nomeadamente com o recolher obrigatório noturno e o encerramento dos estabelecimentos comerciais.

Com 210 milhões de habitantes, os dados confirmam o Brasil como o segundo país do mundo com mais vítimas mortais, depois dos Estados Unidos da América (EUA), e o terceiro com mais infeções, atrás dos EUA e da Índia.

Até hoje, 9.386.440 pessoas recuperaram da covid-19, o que corresponde a 89,2% dos casos registados.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.518.080 mortos no mundo, resultantes de mais de 113,3 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

LUSA/HN

Share This