Reino Unido com dez mortes e 7.673 infeções por Covid-19

15 de Junho 2021

O Reino Unido registou 10 mortes e 7.673 casos de Covid-19 nas últimas 24 horas, de acordo os últimos dados do Governo. 

Na segunda-feira tinham sido notificadas três mortes e 7.742 casos, mas os valores do fim de semana são recorrentemente mais baixos devido ao atraso no processamento dos dados.

Nos últimos sete dias, entre 09 e 15 de junho, a média diária foi de nove mortes e 7.671 casos, o que corresponde a uma descida de 12,5% no número de mortes mas subida de 38,8% no número de infeções relativamente aos sete dias anteriores.

O agravamento da situação é atribuído à variante Delta, considerada 60% mais transmissível do que a variante Alpha, a qual ultrapassou para se tornar dominante no Reino Unido.

Esta situação levou o primeiro-ministro, Boris Johnson, a anunciar na segunda-feira o adiamento da quarta etapa do plano de desconfinamento por quatro semanas para avançar mais com a vacinação.

Apesar de as vacinas mostrarem alguma eficácia em evitar que sintomas graves da doença, o número de hospitalizações tem estado a crescer, sobretudo de adultos que ainda não foram imunizados.

“A vacinação reduz muito a transmissão e duas doses fornecem um alto grau de proteção contra doenças graves e morte. Mas ainda existem milhões de adultos jovens que não foram vacinados e, infelizmente, uma proporção dos idosos e vulneráveis ainda pode morrer, mesmo que tenham recebido duas tomas”, explicou.

Assim, o Governo decidiu que o intervalo das segundas tomas será reduzido de 12 para oito semanas para os maiores de 40 anos e acelerado o plano de vacinação para garantir a inoculação de todos os adultos com uma primeira dose até 19 de julho.

Desde dezembro foram inoculadas 41.831.056 pessoas com uma primeira dose de uma vacina contra a Covid-19, o que corresponde a 79,4% da população adulta.

30.209.707 pessoas, ou 57,4% da população adulta, já receberam também a segunda dose.

Desde o início da pandemia, foram notificados 127.917 óbitos de Covid-19 num total de 4.581.006 infeções confirmadas no Reino Unido.

A pandemia de Covid-19 provocou, pelo menos, 3.813.994 mortos no mundo, resultantes de mais de 176,1 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 17.049 pessoas dos 859.045 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida pelo novo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

ULS de Braga certifica mais 35 profissionais no âmbito do Programa Qualifica AP

A Unidade Local de Saúde de Braga (ULS de Braga) finalizou, esta semana, o processo de certificação de mais 35 profissionais, no âmbito do Programa Qualifica AP, uma iniciativa desenvolvida em parceria com a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-N), através do Centro Qualifica AP.

PCP apresenta medidas para “inverter a degradação” do SNS

O PCP apresentou esta sexta-feira algumas medidas urgentes para “inverter a degradação” do Serviço Nacional de Saúde (SNS), criticando as “políticas de vários governos” de PS, PSD e CDS, que abriram “caminho para a destruição” daquele serviço público.

DE-SNS mantém silêncio perante ultimato da ministra

Após o Jornal Expresso ter noticiado que Ana Paula Martins deu 60 dias à Direção Executiva do SNS (DE-SNS) para entregar um relatório sobre as mudanças em curso, o HealthNews esclareceu junto do Ministério da Saúde algumas dúvidas sobre o despacho emitido esta semana. A Direção Executiva, para já, não faz comentários.

ULS de Braga celebra protocolo com Fundação Infantil Ronald McDonald

A ULS de Braga e a Fundação Infantil Ronald McDonald assinaram ontem um protocolo de colaboração com o objetivo dar início à oferta de Kits de Acolhimento Hospitalar da Fundação Infantil Ronald McDonald aos pais e acompanhantes de crianças internadas nos serviços do Hospital de Braga.

FNAM lança aviso a tutela: “Não queremos jogos de bastidores nem negociatas obscuras”

A Federação Nacional dos Médicos (FNAM) disse esta sexta-feira esperar que, na próxima reunião com o Ministério da Saúde, “haja abertura para celebrar um protocolo negocial”. Em declarações ao HealthNews, Joana Bordalo e Sá deixou um alerta à ministra: ” Não queremos jogos de bastidores na mesa negocial. Não queremos negociatas obscuras.”

SNE saúda pedido de relatório sobre mudanças implementadas na Saúde

O Sindicato Nacional dos Enfermeiros (SNE) afirmou, esta sexta-feira, que vê com “bons olhos” o despacho, emitido pela ministra da Saúde, que solicita à Direção-Executiva do Serviço Nacional de Saúde (DE-SNS) um relatório do estado atual das mudanças implementadas desde o início de atividade da entidade.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights