Lista de espera cirúrgica nos Açores regista aumento homólogo e redução mensal em março

20 de Abril 2024

A lista de espera por uma cirurgia nos Açores aumentou pelo 11.º mês consecutivo, em março, face ao período homólogo, mas baixou em relação a fevereiro, estando inscritos 10.689 utentes, segundo dados da Direção Regional da Saúde.

“Em março de 2024 aguardavam em LIC [lista de inscritos para cirurgia] um total de 10.689 utentes, o que corresponde a uma diminuição de cerca de 0,6% (menos 63 utentes) face ao mês anterior”, lê-se no boletim informativo mensal da Unidade Central de Gestão de Inscritos para Cirurgia dos Açores, consultado hoje pela agência Lusa e disponível na página da Internet da Direção Regional da Saúde.

Em comparação com março de 2023, regista-se, no entanto, um aumento de 785 utentes inscritos (7,9%).

Desde maio de 2023 que os relatórios indicam aumentos homólogos do número de utentes em lista de espera na região.

O último boletim informativo mensal, relativo ao mês de fevereiro, tinha sido divulgado na semana passada.

Segundo os dados mais recentes, o Hospital do Divino Espírito Santo (HDES), em Ponta Delgada, na ilha de São Miguel, o maior da região, é o que concentra mais doentes em lista de espera para cirurgia nos Açores (6.452), seguindo-se o Hospital de Santo Espírito da Ilha Terceira (HSEIT), com 2.962 utentes, e o Hospital da Horta (HH), no Faial, com 1.275.

Apenas o HSEIT registou um aumento de inscritos face ao mês anterior (1,9%), com o HDES a baixar 1,2% e o HH 2,9%.

Já em comparação com o período homólogo, todos os hospitais apresentam crescimentos na lista de espera, com o da Terceira a destacar-se (16,7%), seguindo-se o de Ponta Delgada (5,3%) e o da Horta (3,1%).

Também o número de propostas cirúrgicas (há utentes inscritos para mais do que uma cirurgia) diminuiu em março face ao mês anterior (0,4%), mas aumentou face ao período homólogo (8,2%), situando-se nas 11.929.

O tempo médio de espera por uma cirurgia na região era no final de março de 395 dias (cerca de um ano e um mês), mais seis dias do que em fevereiro e mais 34 do que no mesmo mês em 2023.

As três unidades de saúde apresentavam um tempo médio de espera acima dos tempos máximos de resposta garantidos (TMRG) regulamentados, que preveem que uma cirurgia com prioridade normal seja realizada no máximo em 270 dias.

Apenas 59,2% das cirurgias realizadas neste mês nos Açores ocorreram dentro do TMRG, ainda assim mais 5,1 pontos percentuais do que em fevereiro e mais 7,7 pontos percentuais do que em março de 2023.

O relatório indica que foram realizadas neste mês 856 cirurgias, o que representa uma redução mensal de 5,5% e uma redução homóloga de 11,5%.

Segundo a Secretaria Regional da Saúde e Segurança Social, o boletim apresenta apenas os números da produção acrescida, no âmbito do programa CIRURGE, não contabilizando as cirurgias realizadas no período normal nos hospitais.

O número de novas propostas cirúrgicas entradas em março nos três hospitais também diminuiu, tendo sido registadas 1.039, menos 10,1% do que em fevereiro e menos 7,6% do que no mesmo mês em 2023.

Verificaram-se ainda 225 cancelamentos de cirurgias, um aumento de 2,3% em relação ao mês anterior e uma redução de 5,9% face ao período homólogo.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Esclerose Múltipla

Cristiana Lopes Martins, fisiatra nos hospitais de Portimão e Lagos (Unidade Local de Saúde do Algarve) e na Unidade Local de Saúde do Litoral Alentejano; Eduarda Afonso, fisiatra no hospital de Faro (Unidade Local de Saúde do Algarve)

Enfermeiros querem reunir com António Gandra d’Almeida

O Sindicato Nacional dos Enfermeiros (SNE) saudou esta quarta-feira a eleição de António Gandra d’Almeida como novo diretor executivo do Serviço Nacional de Saúde. Em declarações ao nosso jornal, o responsável afirmou que vai solicitar uma reunião com António Gandra d’Almeida e a nova equipa.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights