Comércios sofrem sem clientes habituais com Termas de Chaves encerradas

10 de Junho 2020

Os hotéis, restaurantes e cafés nas imediações das Termas de Chaves aguardam a reabertura deste equipamento para voltarem a receber os clientes termalistas habituais e recuperarem da quebra económica causada pela pandemia de covid-19.

As Termas de Chaves, no distrito de Vila Real, ainda não foram autorizadas a reabrir e os vários comércios nas imediações, apesar de alguns já estarem abertos, estão a sofrer com a falta de clientes que frequentam habitualmente o balneário flaviense e que até têm ligado a perguntar a data da reabertura.

“Trabalhamos muito quer com os termalistas quer com os trabalhadores das termas. Tínhamos muitos clientes, mas este ano está a ser um caos”, conta à agência Lusa a proprietária de um restaurante mesmo ao lado do edifício das termas.

Para Paula Rodrigues, a zona envolvente das Termas de Chaves é muito turística e, além dos termalistas, também depende muito dos ‘vizinhos’ espanhóis, que ainda não podem atravessar a fronteira.

“Estou ansiosa, quer pela abertura das termas quer pela abertura das fronteiras”, realça a proprietária do restaurante Dubai que tem também uma esplanada virada para as termas.

Do outro lado da estrada, o Petrus Hotel ainda não reabriu desde que foi forçado a encerrar devido à pandemia e também aguarda a reabertura das termas.

O gerente da unidade hoteleira que emprega habitualmente cerca de 12 trabalhadores, e que está atualmente em ‘lay-off’, explica que sem turismo e sem as termas a funcionarem não compensa estar aberto neste momento.

“O ano passado foi um bom ano e este ano iria ser ainda melhor, pelas indicações dos primeiros meses, mas a pandemia vai fazer com que seja o pior de sempre”, atira Pedro Teixeira.

O Petrus Hotel, que abriu em 2008, tem recebido telefonemas de clientes habituais que esperam a reabertura das termas para se deslocarem a Chaves.

“A maioria dos termalistas vem todos os anos e, quando não vêm, queixam-se de que não se sentem tão bem sem os tratamentos”, lembra.

Pedro Teixeira alerta que não são apenas os estabelecimentos comerciais nas imediações das termas que estão a ser afetados, mas um pouco por toda a cidade, pois os termalistas, ao passarem “diversos dias consecutivos” em Chaves, exploram todo o concelho e levam “para as suas terras” vários produtos locais, como agrícolas ou fumeiro.

A Rua do Sol, perto também das Termas de Chaves, tem diversas pensões e restaurantes habituados a trabalhar com termalistas.

Apesar de já ter reaberto, a Ester Guest House ainda espera a chegada de clientes.

“Temos habitualmente muitos termalistas de vários pontos do país e até do estrangeiro. Este ano muitos já cancelaram as suas reservas”, contou Ester Rei.

A proprietária da Ester Guest House, há já 22 anos, acredita que a cidade de Chaves irá ser um destino de preferência no verão pela “pouca incidência da covid-19, a gastronomia e o saber acolher dos flavienses”.

Após ter feito uma remodelação das instalações há três anos, Ester Rei tinha “boas expectativas” para o negócio em 2020 que para já estão em suspenso.

Na mesma rua, após três meses encerrados, o Hotel Kátia, que tem também um restaurante, também já está de portas abertas mas ainda à espera dos clientes.

“Não vamos ter muitos clientes enquanto as termas não reabrirem, pois trabalhamos com muitos, que vêm há muitos anos. Ainda hoje telefonaram a perguntar quando reabrem”, explica Ana Lampaça.

As Termas de Chaves aguardam “com ansiedade” por indicações da Direção-Geral da Saúde (DGS) para a retoma da atividade, após terem encerrado devido à pandemia de covid-19 e queixam-se de “falta de informação”.

“Não se compreende esta falta de informação, pois para além de dificultar os preparativos para a reabertura, atrasa o agendamento dos tratamentos por parte dos termalistas que, na maioria dos casos, necessitam também de reservar o respetivo alojamento”, explicou a administradora das Termas de Chaves, Fátima Pinto, citada em comunicado divulgado em 04 de junho.

Para a responsável, “ignorou-se por completo o facto de que as Termas cumprem todos os requisitos de segurança e higiene que são exigidos a qualquer atividade prestadora de cuidados de saúde tutelada pela DGS”.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 406 mil mortos e infetou mais de 7,1 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo o balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 1.485 pessoas das 34.885 confirmadas como infetadas, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

IPG acolhe polo do Centro de Envelhecimento Ativo

O Instituto Politécnico da Guarda (IPG) vai acolher um polo do Centro de Competências de Envelhecimento Ativo, que irá desenvolver atividades para criar melhores condições de vida aos idosos da região.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights