Enfermeiros nos Açores indignados com atraso na valorização remuneratória

26 de Junho 2020

O presidente da Direção dos Açores do Sindicato dos Enfermeiros Portugueses, Francisco Branco, manifestou hoje a sua "indignação" por o processo de valorização remuneratória da classe não avançar no arquipélago, como foi prometido pelo Governo.

No final de uma reunião com a secretária regional da Saúde, Teresa Luciano, realizada na cidade de Angra do Heroísmo, ilha Terceira, o dirigente sindical lembrou que os enfermeiros açorianos “aguardam há demasiado tempo” por este processo, lembrando que isso tem “implicações” no seu vencimento.

“Os enfermeiros não podem ficar eternamente à espera. Há indignação em relação a esta matéria. Alguns dos enfermeiros estão irritados porque, no continente, este processo avançou, apesar da covid-19, mas aqui continua atrasado”, lamentou Francisco Branco, que aguardava que a titular da pasta da Saúde na região tivesse avançado com mais informações na reunião.

À saída do encontro com o Sindicato dos Enfermeiros, Teresa Luciano admitiu que o processo de valorizações remuneratórias já se arrasta há “longo” tempo, mas lembrou que o surto pandémico também fez atrasar este processo no arquipélago.

“Estamos a falar de 1.600 enfermeiros, de contagens, de avaliações, e o que transmitimos ao sindicato é que, no final de agosto de 2020, a situação estará resolvida”, insistiu a governante, explicando que o “timing” foi alterado devido “à situação que estamos a viver”, decorrente da doença da covid-19.

O representante do Sindicato de Enfermeiros nos Açores diz não compreender o que é que está a “entravar o processo” e lembrou que “não existem questões legais de interpretação”, mas apenas desentendimentos entre os serviços e a Direção Regional de Saúde, que poderão estar a “atrapalhar” a sua concretização.

Teresa Luciano anunciou, por outro lado, que a tutela vai proceder a um aumento de “quotas para enfermeiros especializados” nas unidades de Saúde de Ilha e nos hospitais dos Açores, correspondendo àquilo que era uma reivindicação das estruturas sindicais.

“Tínhamos aberto em 2018 uma quota para 288 enfermeiros especialistas e decidimos fazer agora um aditamento na quota, de mais 59 especialistas, nas várias unidades de saúde e hospitais da região”, frisou a governante, realçando que esta “é uma ótima notícia para os enfermeiros” açorianos.

A contagem de tempo de serviço para efeitos de descongelamento na carreira, a transição para a nova carreira de enfermagem e o tempo de serviço dos profissionais de enfermagem, foram outros temas em debate na reunião entre o sindicato e a tutela.

Nos Açores existem, atualmente, apenas três casos positivos ativos por contaminação pelo novo coronavírus.

Portugal contabiliza pelo menos 1.555 mortos associados à covid-19 em 40.866 casos confirmados de infeção, segundo o último boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS).

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

APDI dedica mês de maio à consciencialização para a Doença Inflamatória do Intestino (DII)

A APDI – Associação Portuguesa da Doença Inflamatória do Intestino, colite ulcerosa, doença de Crohn está a dedicar, mais uma vez, o mês de maio à consciencialização para a Doença Inflamatória do Intestino (DII) seguindo as indicações da EFFCA – Federação Europeia das  Associações de Doença de Crohn e Colite Ulcerosa que neste ano de 2024 escolheu como mote “A  DII não tem fronteiras”.

Nuno Jacinto: “A Medicina Geral e Familiar tem um papel central em todos os sistemas de saúde”

O presidente da Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar (APMGF) reforçou a importância da especialidade na promoção da saúde e prevenção da doença. No âmbito do Dia Mundial do Médico de Família, Nuno Jacinto falou ao HealthNews sobre os constragimentos que estes profissionais de saúde enfrentam e dos desafios que os cuidados de saúde primários enfrentam em Portugal.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights