Brasil com 692 mortos e 24.052 infetados em 24 horas

30 de Junho 2020

O Brasil contabilizou 692 mortos e 24.052 infetados pelo novo coronavírus nas últimas 24 horas, informou o Ministério da Saúde brasileiro na segunda-feira, acrescentando que a taxa de letalidade da doença no país está em 4,3%.

O Brasil, segundo país do mundo com mais mortos e infetados, totaliza agora 58.314 óbitos e 1.368.195 casos confirmados de Covid-19 desde o registo oficial da pandemia no país, em 26 de fevereiro.

Segundo o executivo, 349 das 692 mortes ocorreram nos últimos três dias, mas foram incluídas nos dados de hoje, sendo que está ainda a ser investigada uma eventual relação de 3.954 vítimas mortais com a doença.

O país sul-americano tem agora uma incidência de 27,7 mortes e 651,1 casos da doença por cada 100 mil habitantes, numa nação com uma população estimada de 210 milhões de pessoas, de acordo com a tutela da Saúde.

São Paulo continua a liderar a lista de estados brasileiros com mais casos confirmados, concentrando oficialmente 275.145 pessoas diagnosticadas com a Covid-19 e 14.398 óbitos, sendo seguido pelo Rio de Janeiro, que contabiliza 111.883 casos de infeção e 9.848 vítimas mortais.

Ambos os estados estão localizados no sudeste brasileiro, a região mais afetada pela pandemia, com 475.989 casos confirmados e 26.807 mortes, seguida pela região nordeste, com 469.602 infetados e 18.923 óbitos.

Já um consórcio formado pela imprensa brasileira, que decidiu colaborar na recolha de informações junto das secretarias de Saúde estaduais, anunciou que o país registou 727 mortes e 25.234 novos infetados nas últimas 24 horas.

No total, o consórcio formado pelos principais media do Brasil indicou que o país totaliza 1.370.488 casos e 58.385 vítimas mortais desde o início da pandemia, números superiores aos avançados pelo executivo.

Em conferência de imprensa na tarde de segunda-feira, o secretário executivo do Ministério da Saúde, Elcio Franco, anunciou que o executivo já distribuiu por todos as 27 unidades federativas do país 4,3 milhões de unidades de cloroquina para o tratamento da Covid-19.

A cloroquina é um medicamento usado para tratar doenças como artrite, lúpus e malária, mas sem eficácia comprovada contra o novo coronavírus, e que tem sido amplamente defendido pelo Presidente do país, Jair Bolsonaro, no combate à pandemia.

Em termos de recursos financeiros, até ao momento, foram destinados aos estados e municípios 9,7 mil milhões de reais (1,6 mil milhões de euros) para ações de combate à pandemia do novo coronavírus, de acordo com a tutela.

O governador do estado de Goiás, Ronaldo Caiado, apelou a prefeitos da região para que adotem um confinamento obrigatório intermitente de 14 dias, a partir de terça-feira, após um estudo da Universidade Federal de Goiás (UFG) apontar que o sistema de saúde do estado pode colapsar em julho.

Segundo os investigadores, se nada for feito para aumentar o índice de isolamento social, 13.530 pessoas morrerão por Covid-19 nos próximos meses naquele estado, que tem hoje 23.007 casos confirmados e 437 óbitos.

A pandemia de Covid-19 já provocou mais de 502 mil mortos e infetou mais de 10,20 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Obesidade e Cancro: Investir em saúde, para poupar na doença

Prof. Dr. Gil Faria: Cirurgião especialista em Cirurgia da Obesidade e Metabolismo; Coordenador dos Centros de Tratamento da Obesidade do Hospital Pedro Hispano, em Matosinhos, e do Grupo Trofa Saúde; Professor da FMUP; Investigador clínico na área da Cirurgia Metabólica e Obesidade

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights