Número de mortes do surto no lar Mansão de São José em Beja sobe para sete

28 de Outubro 2020

O número de mortes do surto de Covid-19 no lar Mansão de São José, em Beja, subiu para sete, com a morte de mais uma utente, divulgou esta quarta-feira a Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo (ULSBA).

A morte mais recente foi a de uma idosa que estava internada numa enfermaria da área dedicada à Covid-19, situada no piso 3 do Hospital José Joaquim Fernandes, em Beja, precisou à agência Lusa fonte da ULSBA.

Segundo a fonte, com a morte da idosa e as altas clínicas dadas a outras duas idosas, desceu de 10 para sete o número de utentes do lar Mansão de São José internadas em enfermarias da área dedicada à Covid-19 no hospital de Beja

No lar Mansão de São José, que apenas acolhe utentes do sexo feminino, a Covid-19 já infetou um total de 107 pessoas, nomeadamente 87 utentes – sete das quais já morreram – e 20 funcionários.

O surto no lar foi confirmado no dia 14 deste mês, depois de utentes e funcionários terem sido testados à presença do novo coronavírus e na sequência da confirmação de dois casos positivos, de uma utente e de uma funcionária.

O primeiro caso de Covid-19 detetado no lar foi o de uma utente de 89 anos, que deu entrada no dia 12 deste mês no Serviço de Urgência do hospital de Beja, onde fez um teste de despiste do Covid-19 que deu resultado positivo e foi internada.

Após ter sido detetado o primeiro caso, foram feitos testes de despiste aos restantes utentes e funcionários do lar, o que permitiu detetar mais 106 infeções.

Na sequência de uma decisão da autoridade de saúde, a maioria das utentes do lar, entre as quais duas não infetadas, foi transferida para o Centro de Acolhimento da Base Aérea N.º 11, perto da cidade de Beja.

As utentes foram transferidas com o objetivo de “descongestionar o espaço” do lar, que “aparentemente” tinha “pessoas em excesso”, disse à agência Lusa o presidente da Câmara de Beja, Paulo Arsénio.

Segundo o autarca, a Câmara de Beja e a Força Aérea Portuguesa estão a prestar os serviços necessários para cuidar das utentes instaladas no centro, que tinha vindo a ser preparado desde abril “precisamente para uma finalidade com estas características”.

A pandemia de Covid-19 já provocou mais de 1,1 milhões de mortos e mais de 43,5 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo o mais recente balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 2.371 pessoas dos 124.432 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Guilherme Veríssimo: “A saúde começa pela boca”

A evidência científica comprova que a má saúde oral está diretamente relacionada com 23 doenças sistémicas, entre elas a diabetes e as doenças cardiovasculares, e cinco tipos de cancro. Esta realidade pode surpreender a maior parte da população, mas não os dentistas. Em entrevista ao nosso jornal, o Médico Dentista, Guilherme Veríssimo, frisa que a “saúde oral não se resume a uma questão estética”, deixando alguns alertas para a importância da correta higienização dos dentes. O médico dentista aproveitou ainda para desmistificar alguns dos principais mitos associados à doença peridontal.

INEM esclarece que chamadas via 112 são descentralizadas

O INEM esclareceu que as chamadas que dão entrada via 112 para o Centro de Orientação de Doentes Urgentes (CODU) são descentralizadas, avançando que hoje de manhã estavam ao serviço 48 técnicos, 24 dos quais em atendimento.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights