Câmara do Porto vai apoiar comércio local com vales de consumo

30 de Novembro 2020

A Câmara do Porto, juntamente com a Ágora e a Associação de Comerciantes do Porto, vai apoiar o comércio local através de “’vouchers’ de consumo” e campanhas de comunicação de Natal, para “salvar o comércio”, anunciou esta segunda-feira o presidente.

“Tivemos reuniões com a Associação de Comerciantes do Porto com quem estivemos a estudar medidas impulsionadoras de consumo no comércio do Porto”, afirmou o presidente da Câmara, Rui Moreira, na reunião do executivo.

O anúncio surgiu depois de o vereador do PSD, Álvaro Almeida, defender a necessidade de se apoiar outros comerciantes e pensar na “equidade” na cidade, durante a discussão da proposta de redução de 50% do valor da renda nos espaços comerciais geridos pela empresa municipal Domus Social.

Segundo o vereador com o pelouro da Economia, Turismo e Comércio, Ricardo Valente, na próxima reunião do executivo será apresentado “um programa de apoio ao comércio”.

Sem revelar muito sobre a verba que lhe será atribuída, o vereador afirmou que o programa, promovido em conjunto com a empresa municipal Ágora e com a Associação de Comerciantes do Porto, terá por base ‘vouchers’ (vale) de consumo e um conjunto de campanhas de comunicação “para que a cidade se una para salvar o comércio”.

“A Câmara vai fazer o seu papel, mas os portuenses também têm de fazer o seu papel”, afirmou Ricardo Valente.

Depois da explicação do vereador com o pelouro do Comércio, o presidente da Câmara do Porto adiantou ainda que a verba que estava atribuída para a árvore de Natal, que este ano não será montada, “vai entrar neste bolo de apoio” direcionado ao comércio de rua.

Questionado novamente pelo vereador Álvaro Almeida sobre se o programa incluía o setor da restauração, o presidente da Câmara do Porto afirmou que o apoio surge “como uma campanha de Natal e não inclui o setor da restauração”.

Na reunião de hoje, o executivo aprovou por unanimidade a redução de 50% do valor das rendas nos espaços comerciais geridos pela Domus Social, bem como os apoios à atividade económica e social com redução de benefícios fiscais em 2021.

Portugal contabiliza pelo menos 4.427 mortos associados à Covid-19 em 294.799 casos confirmados de infeção, segundo o último boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS).

O país está em estado de emergência desde 09 de novembro e até 08 de dezembro, período durante o qual há recolher obrigatório nos concelhos de risco de contágio mais elevado.

Durante a semana, o recolher obrigatório tem de ser respeitado entre as 23:00 e as 05:00, enquanto nos fins de semana e feriados a circulação está limitada entre as 13:00 de sábado e as 05:00 de domingo, e entre as 13:00 de domingo e as 05:00 de segunda-feira.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Esclerose Múltipla

Cristiana Lopes Martins, fisiatra nos hospitais de Portimão e Lagos (Unidade Local de Saúde do Algarve) e na Unidade Local de Saúde do Litoral Alentejano; Eduarda Afonso, fisiatra no hospital de Faro (Unidade Local de Saúde do Algarve)

Enfermeiros querem reunir com António Gandra d’Almeida

O Sindicato Nacional dos Enfermeiros (SNE) saudou esta quarta-feira a eleição de António Gandra d’Almeida como novo diretor executivo do Serviço Nacional de Saúde. Em declarações ao nosso jornal, o responsável afirmou que vai solicitar uma reunião com António Gandra d’Almeida e a nova equipa.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights