Médicos do Centro exigem inquérito à vacinação nos hospitais públicos

26 de Janeiro 2021

A Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos (SRCOM) considerou hoje que o processo de vacinação nos hospitais públicos “tem sido duvidoso” e exigiu um inquérito ao Ministério da Saúde para apurar responsabilidades.

O presidente da SRCOM, Carlos Cortes, afirma em comunicado que os critérios de vacinação contra a processo de vacinação dos hospitais públicos vem “levantando questões sobre as prioridades definidas por cada instituição, pelo que (…) entende ser imprescindível um inquérito para apurar as responsabilidades neste processo em vários hospitais” da região.

“Proteger os profissionais de saúde é proteger os doentes. A vacinação dos profissionais de saúde não constitui somente uma proteção para os próprios, mas também uma proteção para os seus doentes, bem como uma barreira à propagação do contágio”, defende.

A estrutura regional da Ordem dos Médicos “acusa o Ministério da Saúde de continuar a segregar os profissionais de saúde” expostos à covid-19.

“É inaceitável avançarmos para a vacinação de outros grupos quando outros que estão expostos à covid-19, nos hospitais do Serviço Nacional de Saúde (SNS), nos hospitais privados, em consultórios ou em qualquer outra instituição de prestação de cuidados de saúde, ainda esperam por uma vacina”, adianta.

Para Carlos Cortes, citado na nota, “é inadmissível o que está a acontecer”.

“Não podem existir médicos de primeira e médicos de segunda. Os critérios não podem estar dependentes nem do vínculo laboral nem de qualquer tipo de favorecimento e, pelo contrário, tem de estar relacionado com o risco de exposição ao vírus, idade e morbilidades associadas”, preconiza.

Na sua opinião, “é incompreensível quando estão a ser vacinadas pessoas sem risco de exposição e ainda estejam a faltar muitos médicos que estão a prestar um serviço essencial na assistência aos doentes e que, sem a vacina, estão a ser colocados numa situação de vulnerabilidade inaceitável”.

“A vacinação dos profissionais de saúde não constitui somente uma proteção para os próprios, mas também uma proteção para os seus doentes, bem como uma barreira à propagação do contágio”, sublinha o dirigente, indicando que “há centenas de médicos a tratar doentes com o novo coronavírus que não receberam ainda nenhuma notificação para serem vacinados”.

A SRCOM revela que enviou uma carta ao ministério da tutela “a exigir soluções rápidas neste contexto”.

De acordo com um inquérito da Ordem dos Médicos, salienta a SRCOM, “fora do SNS existem 4.043 médicos interessados em receber a vacina”, dos quais 518 no Centro.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Associação Portuguesa de Jovens Farmacêuticos junta partidos para debater o setor antes das legislativas

A Associação Portuguesa de Jovens Farmacêuticos (APJF) vai organizar, no próximo dia 26 de fevereiro, um debate público para discutir as principais preocupações do setor farmacêutico para os próximos anos. O evento “Prioridades para o Ecossistema Farmacêutico e da Saúde”, a ter lugar no Centro Ciência Viva, em Lisboa, vai reunir representantes dos partidos políticos num debate que antecede as eleições legislativas. 

Workshop sobre Obesidade assinala Dia Mundial no Porto

No próximo dia 4 de março, Dia Mundial da Obesidade, a cidade do Porto acolhe um workshop gratuito sobre Obesidade, com o intuito de se falar abertamente sobre esta doença que afeta quase mil milhões de pessoas em todo o mundo.

A FEPODABES lança a campanha É HORA DE AJUDAR

O Presidente da FEPODABES, Alberto Mota, deixa o apelo: “todos os cidadãos com mais de 18 anos, que tenham mais de 50kg e que sejam saudáveis podem dar sangue. Esse gesto simples contribui para salvar muitas vidas”.

Cancer Summit da MSD regressa com o mote “Salvar e Melhorar Vidas”

No dia 24 de fevereiro, no Altice Arena, realiza-se a 3.ª edição do Cancer Summit, um evento na área da Oncologia da MSD Portugal. A iniciativa tem como mote “Salvar e Melhorar Vidas” e pretende promover a qualidade dos cuidados prestados aos doentes oncológicos a nível nacional.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights