Aprovada por unanimidade construção de nova unidade de saúde em Viana do Castelo

9 de Setembro 2021

A Câmara de Viana do Castelo aprovou hoje, por unanimidade, adjudicar a construção da nova Unidade de Saúde Familiar (USF) da Meadela por 2,276 milhões de euros, com financiamento comunitário.

Na apresentação do projeto ao executivo municipal, em reunião extraordinária, o presidente da Câmara, José Maria Costa, explicou que a candidatura apresentada ao Norte 2020 foi aprovada em agosto, com uma comparticipação de 85%.

O novo equipamento terá 14 gabinetes de consulta médica, 10 gabinetes de enfermagem ou de consulta de enfermagem, e quatro consultórios.

O edifício integrará ainda uma sala de amamentação, uma sala de espera maternoinfantil e fraldário, dois gabinetes multifunções, bem como salas de tratamento, salas de espera, arquivo, salas de reuniões e de pessoal, casas de banho, vestiários e zonas de manutenção técnica.

O terreno onde será implementado a USF da Meadela apresenta uma área aproximada de 4.000 metros quadrados e um declive ligeiro de aproximadamente quatro metros, entre a via de acesso e o ponto mais alto do terreno.

A obra, que resulta de um protocolo entre a autarquia e a Unidade Local de Saúde do Alto Minho (ULSAM), tem um prazo de execução de 360 dias e é considerada “uma necessidade urgente para a freguesia”.

Ao abrigo daquele protocolo, a autarquia fica responsável para a execução da empreitada, cujo projeto foi elaborado pela ULSAM.

O investimento na nova unidade de cuidados de saúde primários vai ser candidatado a fundos comunitários, sendo que o município assume a componente nacional e os arranjos exteriores.

A construção daquela USF, prevista no plano de atividades e orçamento para 2020, foi aprovada pela ULSAM, sendo que a autarquia expropriou, por utilidade pública, o terreno necessário à construção, na Praça Minho-Lima, na Meadela.

A atual extensão de saúde da Meadela funciona num espaço pertencente à Casa do Povo, “edifício desqualificado e sem as desejáveis condições de funcionamento, nomeadamente ao nível das acessibilidades a pessoas com mobilidade reduzida, para um equipamento de saúde moderno, bem como à crescente densidade populacional, a qual se tem consolidado nas últimas décadas”.

A construção da USF “é considerada absolutamente estruturante e indispensável à rede de equipamentos de saúde no concelho”.

O protocolo assinado entre a autarquia e a ULSAM realça que “a malha urbana da cidade, com 29,7 quilómetros quadrados, é constituída por cinco freguesias, Areosa, Darque, Meadela, Monserrate e Santa Maria Maior, com uma população residente total de 38.045, mais 4,1% do que no ano de 2001”.

O executivo aprovou ainda, também por unanimidade, o projeto e a abertura do concurso público para a construção do acesso poente e área de estacionamento ao parque empresarial de Lanheses, por um valor base de cerca de 2,2 milhões de euros.

Após a apresentação daquela proposta, a vereadora da CDU, Cláudia Marinho, questionou o “valor excessivo da obra”, que o autarca socialista explicou com a “dimensão” da obra, com uma área de 73 mil metros quadrados, e com o cumprimento de regras específicas.

Na reunião extraordinária de hoje não participaram o vice-presidente da autarquia, que se encontra em baixa médica, e a vereadora Carlota Borges, por razões pessoais.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights