Angola já vacinou mais de 100 mil crianças e adolescentes

5 de Janeiro 2022

Mais de 100 mil crianças e adolescentes, entre os 12 e 17 anos, em Angola, já foram vacinados contra à Covid-19, no âmbito da campanha nacional de imunização a menores, anunciou esta quarta-feira fonte oficial.

Segundo o secretário de Estado para a Saúde Pública angolano, Franco Mufinda, citado hoje pela Rádio Nacional de Angola, os pais e encarregados de educação “devem continuar a mobilizar” os educandos para aderirem à campanha.

A campanha de vacinação a menores em Angola teve início em 16 de dezembro de 2021 e agora regista uma grande adesão após as autoridades anunciarem a obrigatoriedade do cartão ou certificado no retorno das aulas no ensino geral.

A Moderna e Pfizer são as vacinas autorizadas pela direção nacional de Saúde Pública de Angola e que estão a ser administradas às crianças e adolescentes nesta campanha.

As aulas em Angola estão suspensas até 16 de janeiro de 2022, no âmbito da vigência do decreto presidencial 316/21 de 31 de dezembro sobre a situação de calamidade pública, visando conter a propagação da Covid-19 no país.

Franco Mufinda, que na terça-feira visitou alguns postos de vacinação do município do Cazenga, em Luanda, apelou os pais e encarregados a mobilizarem os filhos, observando que estes poderão enfrentar barreiras no reinício das aulas caso não forem imunizados.

“Por altura, além dos PVAR (Postos de Vacinação de Alto Rendimento) agregamos também as escolas como locais de vacinação de menores, tal como está acontecer no Cazenga, e em relação às crianças quem não assim o fizer terá barreiras no acesso, sobretudo no reinício do ano letivo”, referiu o governante.

O ano escolar em Angola tinha o seu reinício agendado para segunda-feira, 03 de janeiro de 2022, mas devido ao elevado número de casos da Covid-19, sobretudo da variante Ómicron, registados diariamente as autoridades suspenderam o seu recomeço.

As aulas presenciais, em todos os estabelecimentos de ensino público e privado do país, ficam suspensas até ao dia 16 de janeiro de 2022, estando o seu reinício sujeito à avaliação da situação epidemiológica da Covid-19.

Angola, que há quase dois anos vive situação de calamidade pública, totaliza 84.666 casos positivos da covid-19, 65.285 recuperados, 1.778 óbitos e 17.603 ativos.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

APAH defende autonomia após ministra anunciar auditoria

 A Associação Portuguesa de Administradores Hospitalares (APAH) defendeu hoje autonomia para as administrações tomarem decisões, depois de a ministra da Saúde anunciar a criação de uma comissão para auditar os conselhos de administração dos hospitais.

Enfermeiros denunciam situação “explosiva” na Linha SNS 24

A Linha SNS 24 vive uma situação “explosiva” e, entre os enfermeiros que prestam serviço nesta linha de atendimento, já se fala em paralisação. A denúncia é feita pelo Sindicato dos Enfermeiros (SE), que teve conhecimento do caso por meio de uma exposição dos enfermeiros que ali prestam serviço, em tempo parcial.

Violência contra a pessoa idosa em debate

A Câmara Municipal de Ponta Delgada (São Miguel, Açores) promove na próxima sexta-feira, às 9h30, uma palestra subordinada ao tema da consciencialização da violência contra a pessoa idosa, isto na véspera do dia mundial que lhe é dedicado pela Organização das Nações Unidas.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights