O papel da atividade física e do exercício físico têm suscitado bastante interesse na comunidade científica nos últimos anos. É por este motivo que a 2.ª edição do Symposium ONCOFIT “From Sports Lab to Cancer Clinic” terá como foco principal o debate sobre este tema. Entre os oradores convidados está o professor Lee Jones, um dos fisiologistas do exercício mais conceituados do mundo, e o professor Nicolas Hart, membro da MASCC e investigador do exercício e cancro.

O Symposium é organizado pela Associação de Investigação de Cuidados de Suporte em Oncologia (AICSO), através do programa ONCOMOVE, que inclui profissionais de diversas áreas para dar resposta à necessidade de cuidados de suporte mais completos e abrangentes, baseados na evidência, na área da Oncologia.

De acordo com Ana Joaquim médica oncologista e vice-presidente da AICSO “Já muito se sabe sobre a dose e a intensidade certa de exercício físico nas várias fases da doença. No entanto, em Portugal ainda não existe a translação deste conhecimento para a prática clínica. É um gap que se pretende ajudar a preencher com este simpósio”.

Na sua opinião, os serviços de saúde prestados aos doentes oncológicos estão estruturados ainda “em torno dos tratamentos dirigidos ao cancro, seja a cirurgia, radioterapia, quimioterapia e outros tratamentos médicos, quando se sabe que uma abordagem integrada e centrada na pessoa que vive e sobrevive com o diagnóstico de doença oncológica traz benefícios que estão hoje documentados”.

O papel da reabilitação cardíaca na reabilitação oncológica, a importância da suplementação nutricional, incluindo a vitamina D, na função do músculo, e a sua importância na eficácia do exercício físico ao longo da jornada do doente oncológico são outros exemplos de temas que vão estar em destaque na 2.ª edição ONCOFIT.

“O exercício físico faz parte de todos os programas de reabilitação cardíaca. Sabemos que a saúde cardiovascular do doente oncológico beneficia de exercício físico. No entanto, hoje em dia o exercício físico (ainda) não faz parte integrante dos programas de reabilitação oncológica. O que tentamos com este grande tema é discutir o que a reabilitação oncológica pode ir “beber” à reabilitação cardíaca”, sublinha Ana Joaquim, acrescentando que a médica Ana Abreu, referência nacional e internacional na área da Cardiologia e Reabilitação cardíaca, é uma das moderadoras do evento.

O encerramento da sessão irá contar com a participação de e dois sobreviventes de cancro para os quais o exercício físico teve um papel fundamental numa parte do percurso.

Os interessados podem submeter a inscrição Aqui.

PR/HN/Vaishaly Camões

Share This