Ingrediente proibido só consta do rótulo e não dos cosméticos “A Nova Saboaria”

20 de Agosto 2022

O Groupe GM - Península Ibérica esclareceu hoje que o ingrediente proibido que levou o Infarmed a retirar alguns lotes de cosméticos da marca A Nova Saboaria não se encontra no produto final, tendo existido um erro na rotulagem.

O Infarmed ordenou na quinta-feira a suspensão imediata de comercialização e retirada do mercado nacional de alguns lotes de cosméticos da marca A Nova Saboaria, por conterem um ingrediente proibido neste tipo de produtos.

Segundo a Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde, é proibida a utilização em produtos cosméticos de ‘butylphenyl methylpropional’, que foi encontrado naqueles produtos numa ação de fiscalização de mercado.

No ‘site’, o Infarmed explica que desde o dia 01 de março que não podem ser comercializados nem disponibilizados ao consumidor produtos cosméticos que tenham na sua composição ‘butylphenyl methylpropional’ ou piritiona de zinco, substâncias classificadas como cancerígenas, mutagénicas ou tóxicas para a reprodução.

Apesar de o distribuidor Groupe GM – Península Ibérica, SA “ter informado que foram adotadas as medidas necessárias para a reformulação dos produtos cosméticos”, o Infarmed diz que, numa fiscalização de mercado, “constatou ainda a existência no mercado nacional de alguns lotes de produtos cosméticos da marca A Nova Saboaria que continham na respetiva lista de ingredientes e/ou na sua composição o ingrediente ‘Butylphenyl methylpropional’”.

Hoje, em comunicado enviado à Lusa, o distribuidor diz que não utiliza o referido ingrediente desde outubro de 2021 na produção de qualquer artigo da marca A Nova Saboaria.

“Os produtos nos quais o referido ingrediente surge mencionado surge apenas de um erro de rotulagem, o que significa que, nesses casos, embora se possa ler no rótulo a referencia ao Butylphenyl methylpropional, o mesmo não se encontra no produto final”, explica.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Prémio de Investigação Noémia Afonso recebe trabalhos até 31 de julho

O Prémio de Investigação Noémia Afonso, promovido pela Sociedade Portuguesa de Senologia (SPS), anunciou a extensão do prazo de envio dos trabalhos até 31 de julho de 2024. A iniciativa tem como objetivo incentivar a cultura científica e fomentar a investigação clínica na área do cancro da mama.

Guadalupe Simões: Quantidade de atos “não se traduz em acompanhamento com a qualidade e segurança que qualquer pessoa deverá exigir”

Esta sexta-feira, Guadalupe Simões, dirigente do Sindicato dos Enfermeiros Portugueses, criticou a escolha do Governo de pagar pela quantidade de atos. “Quando o Governo diz que dá incentivos ou que dá suplementos financeiros se fizerem mais intervenções cirúrgicas, se tiverem mais doentes nas listas, se operarem mais doentes no âmbito dos programas do SIGIC, se, se, se, está sempre a falar de quantidade de atos, que não se traduz em acompanhamento das pessoas com a qualidade e segurança que qualquer pessoa deverá exigir”, explicou ao HealthNews.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights