LPCC promove hábitos de exposição solar saudáveis

LPCC promove hábitos de exposição solar saudáveis

Segundo avança a LPCC em comunicado, “este projeto de promoção e educação para a saúde em meio escolar é um processo contínuo que visa a capacitação das crianças e dos jovens para fazerem escolhas informadas sobre os seus comportamentos de saúde”.

“As minhas aventuras contra o Sr. Escaldão” é uma estratégia educativa que pretende dotar os professores do primeiro ciclo com competências e recursos que lhes permitam abordar a temática da exposição solar segura com os seus alunos do Ensino Básico.

“Os materiais lúdicos e pedagógicos são fundamentais na formação dos mais novos. O jogo “As aventuras do Sr. Escaldão”, assim como os livros educativos, são um incentivo ao trabalho de equipa com o intuito de promover a informação e prevenção da exposição solar”, informa o presidente da LPCC, Francisco Cavaleiro de Ferreira.

A iniciativa, que conhece este ano a sua 2º edição, realizou-se em 111 escolas e impactou 14.405 crianças em 2022, na sua anterior edição de projeto piloto.

O cancro da pele é o cancro mais frequente a nível mundial entre as populações de pele predominantemente clara e a sua ocorrência tem aumentado de forma drástica ao longo das últimas décadas.

Em Portugal são registados todos os anos cerca de 1500 novos casos de melanoma maligno.

PR/HN/VC

Pfizer lembra que a Covid-19 “continua a existir” e reforça importância do diagnóstico

Pfizer lembra que a Covid-19 “continua a existir” e reforça importância do diagnóstico

“Avance rápido” foi o mote escolhido para a campanha de sensibilização desenvolvida pela farmacêutica. A iniciativa visa alertar a população de risco para a importância do diagnóstico precoce da Covid-19.
De acordo com o Diretor Geral da Pfizer Portugal, “com a aparente estabilização do número de casos positivos e o abrandamento dos internamentos” o vírus da Covid-19 passou para um segundo plano.
O responsável sublinha que a campanha permite mostrar que a Covid-19 ainda existe e que representa um risco para a população mais vulnerável, mas que a vida não tem de parar”.
“Acima de tudo, queremos que a população de risco para a Covid-19 se mantenha informada, que esteja atenta aos sinais e que se teste sempre que se justificar. Como em tantas outras doenças, um diagnóstico precoce permite-nos atuar, também de forma precoce, na sua resolução”, conclui.
Com particular foco em grupos mais vulneráveis, como as pessoas com imunodepressão, os portadores de doenças crónicas, ou os mais idosos, a Pfizer disponibiliza Aqui informação útil e reforça a importância de procura de orientação profissional em caso de doença.
PR/HN/VC
Campanha alerta para importância do conhecimento sobre doenças do movimento

Campanha alerta para importância do conhecimento sobre doenças do movimento

“Esta é uma iniciativa importante para as doenças do movimento em virtude de corresponderem a patologias que apresentam características que as tornam muitas vezes intrigantes e difíceis de serem diagnosticadas por parte dos médicos, mas também difíceis de serem lidadas por parte dos doentes, familiares e cuidadores”, afirma Joaquim Ferreira, neurologista.

O especialista na área de Doenças do Movimento e Diretor Clínico do Campus Neurológico Sénior (CNS) explica ainda que “nas doenças do movimento mais frequentes, como a Doença de Parkinson, o Tremor Essencial e a Síndroma das Pernas Inquietas o papel dos médicos de MGF é também extremamente importante para o reconhecimento, a referenciação, a abordagem terapêutica e o acompanhamento. Uma população informada pode também contribuir para a criação e disponibilização de cuidados de saúde de qualidade e adequados para estas patologias”.

As doenças do movimento são doenças neurológicas que se caracterizam, entre outros sintomas, por causarem uma alteração do movimento normal. Podem manifestar-se por movimentos mais lentos ou pelo aparecimento de movimentos anormais, como tiques, distonia, coreia, balismo, mioclonias, estereotipias.

As mais frequentes são a Doença de Parkinson, o Tremor Essencial e a Síndroma das Pernas Inquietas. Outras doenças do movimento mais raras incluem a Doença de Huntington, a Atrofia Multissistémica, a Paralisia Supranuclear Progresssiva (PSP), o Blefaroespasmo, a Distonia Cervical, a Síndroma de Gilles de La Tourette, a Doença de Wilson e várias outras.

PR/HN/VC

Risco de morte mais do que duplica em doentes oncológicos não vacinados contra a gripe e a Covid-19

Risco de morte mais do que duplica em doentes oncológicos não vacinados contra a gripe e a Covid-19

De acordo com Telma Costa da AICSO “o risco de doença, hospitalização e morte pelo vírus da gripe são muito superiores na pessoa com doença oncológica, principalmente naqueles que estão em tratamento de quimioterapia ou que apresentam neoplasias hematológicas, pulmonares ou com doença avançada. O mesmo se observa com a infeção por SARS-CoV-2, em que o risco de morte por COVID19 nestes grupos de doentes pode ser até quatro vezes superior à da população geral”.

A médica oncologista do Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia/Espinho explica que a infeção, principalmente quando apresenta critérios de gravidade, com necessidade de internamento ou outras complicações associadas pode ter um impacto no prognóstico da doença oncológica, ao atrasar ciclos de quimioterapia ou até mesmo cirurgias.

“Não faz sentido apostar apenas em tratamentos que nos permitem curar a doença oncológica, sem apostar nos melhores cuidados de suporte, e na vacinação, enquanto meio de prevenção de infeções graves, que deve ser sempre considerada quando estabelecemos um plano de cuidados para o nosso doente”, frisa.

Neste sentido, a especialista sublinha que a vacinação é uma das formas de diminuir a gravidade de infeções que podem surgir devido à imunossupressão provocada pela doença oncológica.

Com a aproximação do inverno, a AICSO alerta para a necessidade de reforçar a sensibilização da importância da vacinação junto da população e dos profissionais de saúde.

O alerta surge no âmbito de uma campanha de sensibilização para a vacinação da AICSO e da Direção-geral da Saúde, em parceria com diversas associações e sociedades profissionais na área da Saúde.

Na campanha, que vai prolongar-se até à Semana Mundial da Vacinação, que se assinala todos os anos em abril, estão previstas ações de sensibilização e informação sobre a importância, indicações e contraindicações de diferentes vacinas na pessoa com doença oncológica, bem como sobre a vacina contra o HPV, o vírus da hepatite B, a vacinação de viajantes e migrantes, entre outros temas.

PR/HN/Vaishaly Camões

Maiores de 60 anos com rastreio oftalmológico gratuito na Clínica Cirúrgica de Carcavelos

Maiores de 60 anos com rastreio oftalmológico gratuito na Clínica Cirúrgica de Carcavelos

Sob o mote “De olhos postos em si”, a Joaquim Chaves realiza rastreios oftalmológicos de forma totalmente gratuita a pessoas com mais de 60 anos.

A iniciativa decorre no âmbito da criação da Unidade de Oftalmologia Sénior. O grupo salienta que “as doenças oftalmológicas são extremamente frequentes na população em geral, sendo o envelhecimento progressivo um dos fatores que mais contribui para esta situação”.

A Joaquim Chaves cita dados Programa Nacional Para a Saúde da Visão, alertando que “cerca de metade da população portuguesa sofre de alterações da visão, desde a diminuição da acuidade visual até à cegueira.  Além disso, mais de 170 mil pessoas sofrem de cataratas, sendo que 6 em cada 10 pessoas com mais de 60 anos apresentam sinais desta doença.”

“O nosso objetivo é proteger e melhorar a visão dos nossos clientes. Uma boa visão contribui para a melhoria da qualidade de vida e satisfação das pessoas, melhorando o seu bem-estar e conforto, nas suas atividades quotidianas”, explica a Dra. Sheryl Costa, coordenadora Cirúrgica de Oftalmologia da Joaquim Chaves Saúde.

Os rastreios decorrem de segunda a sexta-feira e são agendados após o preenchimento de um questionário (disponível online e em formato físico na clínica). O questionário é analisado por um profissional de saúde e o contacto, por parte da Joaquim Chaves Saúde, é estabelecido num prazo de até 48h úteis.

PR/HN/Vaishaly Camões