Surtos no Hospital das Caldas da Rainha totalizam 47 infetados e cinco mortos

15 de Dezembro 2020

O número de infetados pelo novo coronavírus no Hospital das Caldas da Rainha aumentou hoje de 36 para 47, havendo a registar mais duas mortes associadas aos dois surtos ativos, informou o Centro Hospitalar do Oeste (CHO).

“Estão infetados 32 doentes e 15 profissionais”, confirmou hoje o CHO, acrescentando que no âmbito dos dois surtos ativos, desde o início da semana passada, se registam “um total de cinco óbitos, em doentes com pluripatologias”.

Os dados representam uma subida de 11 pessoas em relação ao número de infetados divulgado na segunda-feira pela administração do CHO, que nessa data registava 22 doentes e quatro profissionais infetados. O mesmo em relação aos óbitos, com uma subida de três para cinco mortes associadas aos dois surtos que afetam os serviços de Medicina Interna e de Cirurgia.

O primeiro surto foi detetado na segunda-feira da semana passada, após um doente ter tido resultado positivo num teste, apesar de anteriormente ter sido testado e ter apresentado um resultado negativo. O segundo surto foi divulgado na sexta-feira da mesma semana.

“Dois doentes tiveram já alta para o domicílio, dado que, não obstante positivos, estão em condições clínicas de efetuar o isolamento fora do internamento”, informou o CHO, numa resposta à Lusa em que dá nota de estarem também em isolamento “15 profissionais infetados” e um outro profissional, com resultado negativo e que cumpre isolamento profilático.

Em consequência dos dois surtos foram testados 160 profissionais e 61 utentes, aguardando-se, segundo o CHO, a re-testagem após oito dias de exposição.

Atendendo ao aumento de casos registados, “foi aberta hoje uma nova enfermaria covid, no Hospital das Caldas da Rainha, “para integrar os doentes do surto” e com “capacidade para 13 camas”. Para esta nova enfermaria “foram mobilizadas as equipas existentes dos serviços convertidos para dar apoio nesta nova área”, concluiu o CHO.

O Centro Hospitalar do Oeste integra os hospitais das Caldas da Rainha, Torres Vedras e Peniche, tendo uma área de influência constituída pelas populações daqueles três concelhos e dos de Óbidos, Bombarral, Cadaval, Lourinhã e de parte dos concelhos de Alcobaça e de Mafra. No total serve perto de 300 mil utentes.

De acordo com o boletim de situação epidemiológica publicado pela Câmara das Caldas da Rainha, o concelho tem hoje 177 caso ativos e 537 recuperados.

Desde o início da pandemia registaram-se no concelho 724 casos de infeção, dos quais 537 pessoas recuperaram e dez morreram.

A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 1.621.397 mortos resultantes de mais de 72,7 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 5.733 pessoas dos 353.576 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Exposição “Arte e Vida: Enfrentar a Esclerose Múltipla” de Emanuel Ribeiro abre em Lisboa

O artista Emanuel Ribeiro apresenta três das suas mais impactantes obras – “À Deriva”, “Grito Mudo” e “Libertação” – na exposição “Arte e Vida: Enfrentar a Esclerose Múltipla”. Organizada pela Sociedade Portuguesa de Esclerose Múltipla (SPEM), com o apoio da Merck e do El Corte Inglés (ECI), a exposição visa retratar as complexidades, desafios e triunfos da vida com esclerose múltipla.

Futuros nutricionistas enfrentam “tubarões” no Teatro Thalia

A NOVA Medical School vai trazer para a academia o conhecido modelo de captação de negócio ‘Shark Tank’, dia 28 de junho no Teatro Thalia, em Lisboa, proporcionando uma plataforma para os alunos finalistas da Licenciatura em Ciências da Nutrição se apresentarem ao mercado de trabalho.

Relatório de saúde STADA 2024: sistemas de saúde na Europa precisam de reformas urgentes

Os sistemas de saúde europeus estão em crise e necessitam de uma reforma urgente, revela o Relatório de Saúde da STADA 2024. Este inquérito representativo, que envolveu cerca de 46.000 entrevistados em 23 países europeus, destaca que os sistemas de saúde não conseguem atender adequadamente às necessidades de muitos europeus, levando-os a assumir a responsabilidade pela sua própria saúde.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights