Portugal envia para Angola mais 185 mil doses da vacina AstraZeneca

26 de Agosto 2021

O Governo português enviou para Angola um novo lote de mais 185 mil doses da vacina AstraZeneca, contra a covid-19, que chega na quinta-feira ao país, informou o Ministério dos Negócios Estrangeiros (MNE) de Portugal.

De acordo com uma nota do gabinete do secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros e Cooperação, as vacinas são acompanhadas dos materiais necessários para viabilizar a sua administração, nomeadamente seringas e agulhas, entre outros.

Os produtos serão entregues às autoridades de saúde angolanas pela embaixada de Portugal em Luanda.

A nota sublinha que este novo apoio de Portugal segue-se a outros dois que já foram enviados para Angola em 15 de julho e 19 de agosto.

“Com este terceiro lote de vacinas, Portugal já enviou um total de 370 mil vacinas destinadas a apoiar as autoridades angolanas na operacionalização do seu plano nacional de vacinação contra a covid-19”, indica a nota.

Esta doação, realça o documento, está enquadrada na segunda fase do plano de ação na resposta sanitária à pandemia de covid-19 entre Portugal e os países africanos de língua oficial portuguesa (PALOP) e Timor-Leste.

Portugal assumiu o compromisso político de disponibilizar aos PALOP e Timor-Leste 5% das vacinas contra a covid-19 adquiridas pelo Estado português, compromisso reforçado pelo Governo português durante a cimeira de chefes de Estado da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP), que teve lugar em julho em Luanda.

A operacionalização desta ação é resultado do esforço conjunto do MNE, designadamente através do Camões – Instituto da Cooperação e da Língua e da embaixada de Portugal em Luanda, e do Ministério da Saúde, através da Direção-Geral da Saúde (DGS) e da Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde (Infarmed) e da ‘task-force’ do Plano Nacional de Vacinação contra a Covid-19 em Portugal.

A ministra da Saúde angolana, Sílvia Lutucuta, disse terça-feira em Luanda que Angola pretende aumentar as suas cifras de vacinados, prevendo ter 31% de cobertura vacinal até ao final de setembro.

Por esta altura, o país tem em curso a implementação do seu plano de vacinação, que prevê vacinar na primeira etapa 20% da população e na segunda 29%, tendo já vacinado mais de 1,7 milhões de pessoas, com recurso às vacinas da AstraZeneca, Pfizer, Sputinik V, Sinopharm e Johnson & Johnson.

Sílvia Lutucuta disse que o país continua a realizar a sua diplomacia em saúde, para a aquisição de vacinas, o atual desafio do Governo angolano.

“Vamos receber um grande carregamento de vacinas, esta semana vamos receber um pouco mais de um milhão de doses de vacinas da Pfizer, uma quantidade acima da média do que estamos habituados”, disse a ministra em declarações, terça-feira, à imprensa.

Angola contabilizou, até terça-feira, um total de 46.340 casos positivos, 1.166 óbitos e 42.738 recuperados da doença.

A covid-19 provocou pelo menos 4.451.888 mortes em todo o mundo, entre mais de 213,1 milhões de infeções pelo novo coronavírus registadas desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em países como o Reino Unido, Índia, África do Sul, Brasil ou Peru.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Inquérito: Médicos Internos querem reforço dos apoios institucionais à produção científica e formação contínua

A maioria dos médicos internos inquiridos encontra-se satisfeito com o internato médico, mais concretamente com a especialidade em si (pontuação de 4.11/5) e com o orientador de formação e/ou responsáveis de formação (pontuação de 4.12/5). A satisfação com o serviço de formação, embora ainda seja positiva, é mais reduzida (pontuação de 3.63/5)

Coimbra procura voluntários para fazer companhia e dar apoio a idosos

A Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários de Coimbra está à procura de voluntários para fazer companhia e dar apoio a idosos da Baixa da cidade, revelou hoje a coordenadora do projeto comunitário de solidariedade social “Sim à Vida”.

Prof. Tiago Torres: Dermatite atópica afeta até 15% das crianças e entre 7 a 10% dos adultos

A incidência da dermatite atópica tem vindo a aumentar nos países desenvolvidos. De acordo com o Prof. Doutor Tiago Torres, dermatologista no Centro Hospitalar Universitário de Santo António, no Porto, e professor no Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar da Universidade do Porto, «a presença de certos genes predispõem ao desenvolvimento da doença. E há depois um conjunto de fatores ambientais que podem levar ao seu aparecimento».

Prémio CNS: Ideias que melhorem o estado de saúde dos doentes neurodegenerativos

O Campus Neurológico (CNS) abriu as candidaturas para a edição de 2023 do Prémio CNS, destacando projetos com o potencial de transformar o mundo através de ideias e iniciativas. Pelo 6.º ano consecutivo este prémio visa estimular na população em geral a criação de iniciativas, projetos e trabalhos que visem melhorar a qualidade de vida de pessoas com doenças neurodegenerativas (Doença de Alzheimer, Doença de Parkinson, entre outras) ou contribuir para a promoção da saúde na população adulta.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights