FNAM aponta quatro prioridades para reunião com o Governo

20 de Abril 2024

A presidente da Federação Nacional dos Médicos (FNAM) identificou hoje os salários, as 35 horas semanais, a integração dos médicos internos na carreira e as progressões como prioridades para o encontro da próxima sexta-feira com o Governo.

Em declarações à Lusa após a reunião do conselho nacional da FNAM, em Coimbra, Joana Bordalo e Sá salientou que o grande interesse do sindicato passa por “ter mais médicos no Serviço Nacional de Saúde” (SNS).

A líder da FNAM assegurou que estiveram a “rever as propostas” que estiveram em cima da mesa nas negociações com o anterior executivo do PS, lamentando que este não tenha sido “capaz de as incorporar e chegar a um acordo razoável”.

“A proposta que adequámos ao momento atual foi a de renegociação da carreira médica e da tabela salarial. A questão da valorização das grelhas salariais, no sentido de repormos o poder de compra, é algo pelo qual vamos continuar a batalhar”, disse.

Joana Bordalo e Sá exigiu também a reposição das 35 horas semanais para os médicos e defendeu uma maior progressão na carreira profissional, “seja nos concursos – e que possam ser rápidos e implementados -, assim como na progressão por escalões”.

Por último, elencou a questão dos médicos internos como outra das prioridades, ao lembrar a sua elevada representação entre os profissionais do SNS, mas cujo tempo não conta ainda para a carreira. “Têm de ser integrados na carreira médica, isso é algo de que não abrimos mão”, vincou.

Questionada sobre a proposta de aumento salarial que chegaram a apresentar ao anterior Governo socialista e que rondava os 30%, Joana Bordalo e Sá evitou fixar percentagens e destacou que “nunca foi só uma questão salarial”, mas admitiu entender ser “o necessário para repor o poder de compra” destes profissionais.

Já em relação ao encontro de sexta-feira com a nova ministra da Saúde, Ana Paula Martins, a presidente da FNAM garantiu estar “de boa fé” para “iniciar um processo negocial” e manifestou o desejo de que não existam “negociatas ou jogadas obscuras” ao longo desse processo.

A reunião da FNAM com o Ministério da Saúde está marcada para o dia 26 de abril, às 11:00.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Esclerose Múltipla

Cristiana Lopes Martins, fisiatra nos hospitais de Portimão e Lagos (Unidade Local de Saúde do Algarve) e na Unidade Local de Saúde do Litoral Alentejano; Eduarda Afonso, fisiatra no hospital de Faro (Unidade Local de Saúde do Algarve)

Enfermeiros querem reunir com António Gandra d’Almeida

O Sindicato Nacional dos Enfermeiros (SNE) saudou esta quarta-feira a eleição de António Gandra d’Almeida como novo diretor executivo do Serviço Nacional de Saúde. Em declarações ao nosso jornal, o responsável afirmou que vai solicitar uma reunião com António Gandra d’Almeida e a nova equipa.

Fernando Araújo: Autorizações para contratar médicos “têm demorado menos que três dias úteis”

Na comissão parlamentar de Saúde, esta quarta-feira, Fernando Araújo apresentou os feitos da reforma do Serviço Nacional de Saúde e da equipa que liderou enquanto diretor executivo. A reforma “tem conseguido alterar esta burocracia, estes patamares administrativos, estes tempos que eram incomportáveis na gestão do SNS”, tendo decorrido com o envolvimento dos profissionais: “de baixo para cima”.

Fernando Araújo: “Não estive em nenhuma das reuniões do grupo de emergência”

O antigo diretor executivo, ouvido hoje na comissão parlamentar de Saúde, disse que a DE-SNS não teve conhecimento do plano estratégico do novo ministério. “Não é num tom de crítica, é apenas factual”, ressalvou. Para Fernando Araújo, não fazia sentido implementar medidas perante a vontade de “fazer algo diferente”.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights