Bastonário da Ordem dos Médicos acusa Governo de deixar de ouvir profissionais

27 de Junho 2020

O bastonário da Ordem dos Médicos acusou hoje o Governo de ter deixado de ouvir os profissionais de saúde, sobretudo os especialistas que estão no terreno, ao contrário do que foi feito no início da pandemia de covid-19.

Em comunicado hoje divulgado, Miguel Guimarães refere que “os números preocupantes de novos casos de infeção” nas últimas semanas, sobretudo na Grande Lisboa, “resultam da incapacidade de antecipação que a autoridade nacional de saúde tem revelado nesta fase de desconfinamento”.

Para o bastonário da Ordem dos Médicos, “é urgente antecipar e não correr atrás do prejuízo, o que implica ter a humildade de ouvir os profissionais de saúde agora, como foi feito no início”.

“É verdade que muito do plano de combate à pandemia e das medidas que foram sendo tomadas acabaram por seguir os apelos da sociedade civil. Nessa altura os profissionais foram ouvidos, nomeadamente, especialistas que estão no terreno e integram o gabinete de crise da Ordem dos Médicos. Agora, numa fase tão delicada como o desconfinamento, houve um excesso de otimismo e uma incapacidade de antecipar as medidas preventivas necessárias em função da evolução da pandemia”, afirmou.

De acordo com o bastonário, os especialistas, “sobretudo aqueles que estão no terreno, deviam ter sido ouvidos mais cedo naquilo que eram recomendações importantes”, disse, referindo-se às viagens aéreas, aos aeroportos, aos transportes e aos ajuntamentos.

Segundo Miguel Guimarães, a comunicação também devia ser “mais clara e centrada nos aspetos técnicos e científicos, deixando as considerações políticas para os políticos”.

O bastonário defendeu ainda que os portugueses souberam reconhecer, numa sondagem realizada pela Intercampus, que os profissionais de saúde foram os que “estiveram melhor no combate à pandemia e que era importante o poder político acompanhar este apelo”.

Na sondagem, havia variadas hipóteses quanto àqueles que melhor responderam à pandemia, entre os quais, o primeiro-ministro, o Presidente da República, a ministra da Saúde, a diretora Geral da Saúde, o Serviço Nacional de Saúde ou os profissionais de saúde.

“Os portugueses não hesitaram e elegeram os profissionais de saúde (médicos, enfermeiros e outros profissionais) como os que estiveram melhor no combate à pandemia da covid-19”, sublinhou.

“Esta é a melhor homenagem que podíamos receber à nossa capacidade técnica e competência, mas também à dedicação, resiliência, humanismo e solidariedade. É uma sondagem que nos deixa orgulhosos, sobretudo em tempos tão difíceis, e não podia deixar de saudar todas as pessoas que fazem o nosso país pelo respeito e consideração demonstrados”, frisou.

Portugal contabiliza pelo menos 1.555 mortos associados à covid-19 em 40.866 casos confirmados de infeção, segundo o último boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS).

Na região de Lisboa e Vale do Tejo, a pandemia de covid-19 atingiu os 17.767 casos confirmados, mais 240 do que na quarta-feira, o que corresponde a 77% dos novos contágios.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

AlmadaCare promove cursos para preparar futuros papás

A Clínica AlmadaCare, recentemente inaugurada, está comprometida em apoiar os futuros pais na preparação para a chegada dos seus filhos. É com este objetivo que a clínica promove o workshop “GPS Amamentação”, no dia 19 de abril, e o curso “T.I.M.E. para Nascer”, nos dias 21 e 27 de abril.

Ministra da Saúde solicita relatório sobre mudanças implementadas na área da Saúde

De acordo com o Expresso, a Ministra da Saúde, Ana Paula Martins, emitiu um despacho a solicitar à DE-SNS um relatório detalhado sobre as mudanças implementadas desde o início do mandato de Fernando Araújo. O objetivo é obter informações sobre as recentes alterações levadas a cabo pela DE-SNS e compreender melhor o modelo de Unidade Local de Saúde.

ESEnfC realiza hoje Encontro Anual do Programa de Doutoramento em Enfermagem

Arnaldo Santos e Gabriele Meyer estão hoje na Escola Superior de Enfermagem de Coimbra (ESEnfC), onde falarão, respetivamente, sobre “Liderar em ciência: processos e dinâmicas de cocriação na era global e digital” (14h30) e “Passado, Presente e Futuro das Ciências de Enfermagem” (15h30).

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights