Mundo chegou hoje à marca de 100 milhões de casos confirmados

26 de Janeiro 2021

O mundo atingiu hoje os 100 milhões de casos de covid-19, de acordo com dados independentes da Universidade Johns Hopkins, nos EUA, país que integra com Índia e Brasil o conjunto de nações mais afetadas pela pandemia.

O número de casos positivos do novo coronavírus duplicou em apenas dois meses e 18 dias, visto que a ‘fasquia’ dos 50 milhões de contágios foi alcançada em 08 de novembro, segundo as contas da mesma instituição.

Às 20:00 GMT, hora oficial de Lisboa, o mundo registava um total de 100.032.461 contágios, segundo os cálculos da Johns Hopkins.

Os Estados Unidos, com 25.362.794 casos são o país com mais infeções, seguido da Índia, com 10.676.838, e do Brasil, com 8.871.393.

A Rússia, com 3.716.228 casos confirmados, e o Reino Unido, com 3.700.235, fecham o ‘top cinco’ de países mais afetados pela pandemia.

Portugal é o 26.º país do mundo com mais contágios acumulados desde o início da pandemia, com 653.878 casos, de acordo com a Johns Hopkins.

No que diz respeito ao número de mortos, o mundo regista, agora, 2.149.818 óbitos resultantes da pandemia.

Os Estados Unidos lideram também neste indicador, com 423.010 mortos, seguidos do Brasil, com 217.664, da Índia, com 153.587, do México, com 150.273 e do Reino Unido, com 100.358.

Neste campo, Portugal ‘cai’ para o 31.º lugar da lista, com 11.012 mortos, ligeiramente abaixo da Suécia, que contabiliza 11.247 mortos (em 556.289 infeções) no 30.º lugar da lista.

Estes dados ocorrem semanas depois do início das campanhas de vacinação contra a covid-19 em vários países e durante um novo pico de casos a nível mundial, que tem sido relacionado com a deteção de novas variantes do coronavírus, como as detetadas no Reino Unido, Brasil e África do Sul.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Altamiro da Costa Pereira: “A Inteligência Artificial não passa de mais uma ferramenta à disposição do médico”

O impacto das tecnologias no ensino da Medicina e da prática clínica foi o tema escolhido para encerrar o ciclo de conversas conduzidas pelo professor catedrático, Jorge Polónia. Desta vez, e para terminar com ‘chave de oro’, o convidado foi o Diretor da Faculdade de Medicina do Porto, o Prof. Altamiro da Costa Pereira. O responsável destacou que apesar de a Inteligência Artificial ser uma ferramenta “poderosíssima”, esta “nos dá por si só novo conhecimento”, o que significa que “a investigação vai continuar a ser feita” e os médicos vão ser sempre necessários.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights