Brasil supera 21,5 milhões de casos e aproxima-se de 600 mil mortos

7 de Outubro 2021

O Brasil ultrapassou esta quarta-feira 21,5 milhões de casos de Covid-19 (21.516.967) e aproxima-se das 600 mil mortes (599.359), momento em que vários indicadores da pandemia estão em queda do país, segundo dados oficiais.

Para esse total contribuíram os 530 óbitos e os 17.893 casos de infeção contabilizados nas últimas 24 horas, segundo o último boletim epidemiológico divulgado pelo Ministério da Saúde brasileiro.

A taxa de incidência da doença em território brasileiro mantém-se em 285 mortes por 100 mil habitantes e a taxa de casos é agora de 10.239. Já a taxa de letalidade está fixada em 2,8% há vários meses.

São Paulo permanece como o foco interno da pandemia, ao concentrar 4.375.187 diagnósticos positivos de SARS-CoV-2 e 150.401 óbitos.

O executivo ‘paulista’ anunciou ontem que 467 municípios do Estado não registaram mortes devido à Covid-19 na última semana, o que representa sete a cada dez cidades paulistas.

Segundo o governador, João Doria, a redução é uma consequência da adesão da população à campanha de vacinação — 60% da população do Estado está vacinada com as duas doses.

Apesar de as médias de mortes, novos casos e internações estarem em queda em solo brasileiro, o Brasil ainda é o segundo país com mais vítimas mortais devido à Covid-19 em todo o mundo, depois dos Estados Unidos, e o terceiro com o maior número de infetados, depois dos norte-americanos e da Índia.

De acordo com o Governo, a nação sul-americana, com 213 milhões de habitantes, registou ainda a recuperação de 20.554.936 casos da doença, sendo que 362.672 pacientes estão sob acompanhamento médico.

Ainda segundo o executivo federal, 148,2 milhões de brasileiros receberam a primeira dose de alguma das vacinas contra a doença e 95,3 milhões completaram o esquema vacinal.

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), maior centro de investigação médica da América Latina e vinculado ao Governo brasileiro, anunciou hoje que irá participar, a partir da próxima semana, num estudo de fase III que vai testar a eficácia do medicamento Molnupiravir para evitar a propagação e a transmissão da Covid-19 entre pessoas expostas ao coronavírus.

“O estudo ocorrerá de forma simultânea em sete centros no Brasil, sendo dois sob responsabilidade da Fiocruz: Mato Grosso do Sul e Rio de Janeiro”, explicou a Fundação.

O Molnupiravir atua impedindo a replicação do vírus e tem potencial de ação em diversos vírus RNA, incluindo o SARS-CoV-2. O tratamento consiste no uso do medicamento por via oral, duas vezes ao dia, durante cinco dias consecutivos. A etapa de fase três terá a duração de seis meses.

“Para avaliar o uso de Molnupiravir como profilaxia pós-exposição (PEP), serão avaliados indivíduos que foram expostos ao vírus, ou seja, que residem com uma pessoa que testou positivo para Covid-19 nas últimas 72 horas e apresenta pelo menos um sintoma associado à doença, além de outros critérios específicos exigidos no protocolo de pesquisa”, detalhou ainda a Fiocruz.

Estudos recentes do fármaco apontam que foi identificada uma redução de aproximadamente 50% do risco de hospitalização ou morte em pacientes adultos não hospitalizados, com Covid-19 leve a moderada, após o seu uso.

A Covid-19 provocou pelo menos 4.813.581 mortes em todo o mundo, entre mais de 235,76 milhões infeções pelo novo coronavírus registadas desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Sociedade Portuguesa de Dermatologia e Venereologia promove reunião de Verão em Évora

Nos próximos dias 28 e 29 de junho, a Sociedade Portuguesa de Dermatologia e Venereologia (SPDV) realizará a sua Reunião de Verão no Hotel Vila Galé, em Évora. O evento é uma oportunidade para dermatologistas e profissionais da área compartilharem conhecimentos, debaterem os últimos avanços na especialidade e fortalecerem laços profissionais

SIM e Secretaria da Saúde dos Açores avançam em negociações para melhorar condições de trabalho dos médicos

Os Sindicatos Médicos e a Secretaria Regional da Saúde dos Açores (SRSA) estiveram reunidos no passado dia 4 para discutir questões relacionadas com condições de trabalho dos médicos na região. Embora a reunião não tenha resultado na implementação imediata de medidas específicas para a melhoria dessas condições, diversos aspetos do processo negocial foram revistos e acordados, prometendo tornar as futuras negociações mais céleres e eficazes.

Preveris é a nova marca de prevenção em saúde

A Preveris, uma empresa do Grupo CUF, resulta da união de duas marcas de sucesso: SAGIES e Atlanticare. Com uma experiência acumulada de mais de 50 anos e o legado de experiência, rigor e confiança do Grupo CUF, esta união representa a soma desse conhecimento, numa nova marca que se coloca ao serviço da prevenção, da saúde e do bem-estar das empresas portuguesas. Operadora líder de mercado no setor da saúde ocupacional em Portugal, a Preveris é responsável por servir 25 por cento das 100 maiores empresas que atuam no nosso país.  

ENSP NOVA e NTT DATA estabelecem parceria para potenciar a inovação em saúde

A Escola Nacional de Saúde Pública da Universidade NOVA de Lisboa (ENSP NOVA) e a consultora global de negócio e tecnologia NTT DATA fornalizaram esta quarta-feira um protocolo de colaboração que vai permitir impulsionar a formação avançada, o desenvolvimento de investigação e projetos de inovação na área da saúde. O objetivo é promover avanços significativos no setor.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights