Governo admite repor gratuitidade dos testes se situação se agravar

7 de Maio 2022

O secretário de Estado da Saúde, António Lacerda Sales, admitiu hoje que os testes de despiste da covid-19 realizados nas farmácias e nos laboratórios poderão voltar a ser gratuitos, se se registar um aumento dos indicadores epidemiológicos.

Em Braga, em declarações aos jornalistas à margem da sessão de encerramento do VI Congresso dos Enfermeiros, Lacerda Sales sublinhou que, neste momento, os indicadores epidemiológicos não justificam a gratuitidade dos testes.

“Se se vier a verificar que há um aumento dos indicadores epidemiológicos, com certeza que reverteremos essa medida [do fim da gratuitidade dos testes]. Neste momento, com os indicadores que temos, e com a estabilidade da situação do ponto de vista epidemiológico, não será necessária a gratuitidde dos testes”, afirmou.

Os testes de despiste da covid-19 realizados nas farmácias e nos laboratórios deixaram de ser gratuitos a partir de 01 de maio, tendo em conta a “evolução positiva” da pandemia no país.

Segundo Lacerda Sales, houve “algum aumento” de casos após o fim da obrigatoriedade do uso de máscara, mas “a tendência mantém-se estável”.

O governante disse que não há “grande pressão” sobre os serviços de saúde, que a mortalidade tem diminuído e que os internamentos estão “mais ou menos estabilizados, “com ligeiro acréscimo nos últimos dias”, mas “em grande impacto e repercussão”.

No entanto, sublinhou que é necessário continuar a vigilância, porque “o vírus ainda não desapareceu”.

A mesma vigilância que aconselhou para os casos suspeitos de hepatite aguda infantil.

“Não é uma situação de alarme, mas é uma situação que a todos nos deve preocupar”, referiu.

Em Portugal foram registados seis casos suspeitos, que estão a ser monitorizados e acompanhados.

Já na sessão de encerramento do VI Congresso dos Enfermeiros, Lacerda Sales vincou a aposta do Governo no reforço do Serviço Nacional de Saúde e na valorização dos seus profissionais.

No caso concreto dos enfermeiros, disse que a prioridade será a reposição dos pontos perdidos na carreira e garantiu que o assunto estará resolvido até ao final do ano.

NR/HN/LUSA

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Dermatite atópica: Novos dados sobre upadacitinib

A AbbVie anuncia os resultados do LEVEL UP, um estudo de Fase 3b/4, aberto (mas com ocultação para o avaliador) e comparativo que avaliou a eficácia e a segurança de upadacitinib (com dose inicial de 15 mg uma vez por dia e ajuste da dose com base na resposta clínica) comparativamente a dupilumab (na dose aprovada) em adultos e adolescentes (com idade ≥ 12 anos) com dermatite atópica (DA) moderada a grave que tiveram uma resposta inadequada à terapêutica sistémica ou quando a utilização desse tipo de terapêuticas era desaconselhada.

Guilherme Veríssimo: “A saúde começa pela boca”

A evidência científica comprova que a má saúde oral está diretamente relacionada com 23 doenças sistémicas, entre elas a diabetes e as doenças cardiovasculares, e cinco tipos de cancro. Esta realidade pode surpreender a maior parte da população, mas não os dentistas. Em entrevista ao nosso jornal, o Médico Dentista, Guilherme Veríssimo, frisa que a “saúde oral não se resume a uma questão estética”, deixando alguns alertas para a importância da correta higienização dos dentes. O médico dentista aproveitou ainda para desmistificar alguns dos principais mitos associados à doença peridontal.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights